Os Bolsonaros na oposição
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Os Bolsonaros na oposição

Eduardo Bolsonaro lembrou que o pai e ele apoiaram em 2015, quando estavam na oposição, projeto que estreitou agora margem já ínfima do chefe do governo para destinar verbas do Orçamento

José Nêumanne

27 de março de 2019 | 13h21

Onyx e Joice na Câmara após reunião de líderes e antes da votação em que PSL ajudou a reduzir poder de Bolsonaro sobre Orçamento. Foto: Dida Sampaio/Estadão

Na terça-feira 26 de março, não de carnaval, mas infernal, o chefe da Casa Civil de Bolsonaro, Ônyx Lorenzoni, visitou o Congresso e o filho do presidente, Eduardo apoiou votação quase unânime da Câmara dos Deputados, sob o comando do inefável Rodrigo Maia, diminuindo muito o poder da União sobre o Orçamento da República. Na mesma direção, líderes do PSL e do governo na Casa votaram pela aprovação, que era aprovada pelos Bolsonaro pai e filho em 2015, quando eram oposição. Pior até do que a derrota acachapante de uma administração com 85 dias foi a constatação de que o chefe do Executivo ainda não conseguiu sair da oposição, mesmo tendo obtido 58 milhões de votos na eleição.

Para ouvir clique aqui e, em seguida, no play

Assuntos para comentário da quarta 27 de março de 2018

1 – Haisem – “Câmara mostra força e limita poder de gasto do governo” – é a manchete de hoje do Estadão O que conseguiu unir a quase unanimidade dos deputados federais – 448 votos a 3 – em torno de um projeto que adota o orçamento impositivo e, com isso, na prática o engessa ainda mais?

SONORA_EDUARDO BOLSONARO 2703

2 – Carolina – E o que dizer do projeto que está sendo engendrado na mesma Câmara pelo sindicalista Paulinho da Força que, entre outras inovações, mais uma vez anistiará os partidos políticos

3 – Haisem – Qual foi a reação dos esquerdistas, em especial petistas, mas não apenas eles, à confissão que certamente os surpreendeu do assassino brutal e desumano italiano Cesare Battisti

4 – Carolina – Quais são as chances que o Ministério Público vai ter de convencer a cúpula da Justiça a prender novamente Michel Temer, Moreira Franco e o coronel Lima Filho, a seu ver

5 – Haisem – Você acha que Paulo Guedes agiu bem ou mal ao não comparecer, como havia sido programado, à reunião de ontem da
Comissão de Constituição e Justiça da Câmara para explicar e defender a nova previdência de Bolsonaro

SONORA_ELMAR 2703

6 – Carolina – Por que você ficou tão encantado com o artigo que o embaixador aposentado Rubens Barbosa assinou na página 2 do Estadão de ontem, elogiando o acordo de cooperação com os americanos na última visita do Bolsonaro em torno da Base de Alcântara

7 – Haisem – Até que ponto a aliança de partidos a favor da reforma da Previdência e a reunião das legendas de oposição, sem PDT de Ciro Gomes, terão alguma influência prática a favor ou contra a iniciativa

8 – Carolina – Por que o presidente do Senado, Davi Alcolumbre, determinou o arquivamento da CPI da Lava Toga, com grande apoio de governistas

 

 

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.