As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Os 36 gols de Jair

Ao vetar 19 pontos da abjeta lei contra abuso de autoridade, armadilha dos corruptos de Legislativo e Judiciário contra combate à corrupção, Bolsonaro atendeu conselhos de Moro e outros auxiliares e ouviu voz das ruas, merecendo elogios

José Nêumanne

05 de setembro de 2019 | 18h18

Ao vetar 36 itens de 19 artigos da lei contra o abuso de autoridade, Bolsonaro ficou no lado certo, do cidadão, que não quer ver suspeitos de Congresso e STF sabotarem combate à corrupção. Foto: Dida Sampaio/Estadão

Apesar de ter  apoiado o veto integral de Jair Bolsonaro ao abjeto projeto contra abuso de autoridade, escrito por Renan Calheiros e aprovado por assustados, suspeitos, denunciados, processados e condenados no combate à corrupção, aplaudo seus 36 vetos. Mormente após ficar claro que o presidente apoiou o anseio popular contra a canalhice do Congresso em conluio com o STF e a PGR. Ao ouvir hoje cedo o relator da lei, deputado Ricardo Barros, que não figura entre meus parlamentares favoritos, tomei conhecimento da inspiração calhorda e deletéria de seus autores e articuladores e afirmo aqui e agora que cada veto foi um gol de Jair e destes os que forem derrubados no Congresso não o serão contra o governo, mas contra a sociedade brasileira. Espero que a coragem demonstrada pelo chefe do governo neste episódio convença os parlamentares a deixarem o texto final da lei como ficou após os vetos. Direto ao assunto. Inté. E só a verdade nos salvará.

Para ver vídeo no YouTube clique aqui

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: