O vexame da Justiça no caso Temer

O vexame da Justiça no caso Temer

Após 7 anos na geladeira sob suspeição de ter acertado sentenças com advogados milionários do Rio, Athiê solta Temer e asseclas em decisão em que elogia Lava Jato e demole sentença do juiz Bretas

José Nêumanne

26 de março de 2019 | 10h44

Após passar quatro dias detido em sala de 46 metros quadrados na PF do Rio, Temer volta para casa, em São Paulo. Foto: Alex Silva/Estadão

O desembargador Antônio Ivan Athiê, do TRF 2, foi acusado de acertar sentenças com as bancas milionárias de advocacia do Rio. A acusação foi arquivada pelo MP por falta de provas, mas ele ficou na geladeira por 7 anos até que o STF permitiu que ele voltasse atuar. Ao julgar agora habeas corpus impetrado pela defesa de Temer, Moreira, coronel Lima e asseclas, ele mostrou por que não é um juiz confiável: passou a decisão para a 1.ª Turma, que preside, alegando que não teve tempo para ler o processo. Dá para acreditar? Mas segunda-feira ele decidiu soltar a turma do MDB, cancelando a decisão anterior. E comprovando que a cúpula do Judiciário do Brasil faz questão de fazer vergonha e nos envergonhar. Nem Deus nos acode de uma lambança desta. Direto ao assunto. Inté. E só a verdade nos salvará.

Para ver vídeo no YouTube clique aqui

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.