As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

O último erro de Greenwald

Primeiro erro do Intercept foi definir como jornalismo revelações que contêm um lado só e, 21 dias depois, o mais recente até agora tem sido tentar justificar próprios disparates a direito que todo jornalista teria de se equivocar

José Nêumanne

30 de junho de 2019 | 19h55

Editor de Intercept virou herói da esquerda brasileira e disputará com Euclides da Cunha estrelato em Parati quando falar na Flipei, “barco pirata” da Flip. Foto: Marcos d’Paula/Estadão

Nova “bomba” do Intercept Brasil contra Moro e Lava Jato terminou explodindo toda a chantagem montada pelo ativista esquerdista americano Glenn Greenwald na tentativa infrutífera de comprometer agentes da lei que combatem corrupção no Brasil. Confusões cronológicas e de identificação de procuradores pretensamente “hackeados” levou o americano a praticar uma série de lambanças ao justificar o injustificável. Ele nada tem a perder, mas veículos de comunicação que reproduzem suas versões atrapalhadas podem com isso perder consumidores e anunciantes. Direto ao assunto. Inté. E só a verdade nos salvará.

Para ver o vídeo no YouTube de domingo 30 de junho clique aqui

Tendências: