O preço do silêncio
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

O preço do silêncio

Relatório da PF incrimina Temer de ter tentado comprar silêncio de Eduardo Cunha e Lúcio Funaro a partir de gravação feita por Joesley Batista em reunião no Jaburo que presidente não explicou até hoje

José Nêumanne

14 Junho 2018 | 12h00

Geddel e Temer sempre foram unha e carne no então PMDB e na parceria com Lula e Dilma. Foto: Evaristo Sá/AFP

A Operação Cui Bono (A quem interessa) chegou a duas conclusões que põem por terra a lenda urbana de que delações premiadas só servem para livrar a cara de bandidos traíras e em nada contribuem para as investigações do combate à corrupção. O relatório final da Polícia Federal desmancha a frágil defesa dos defensores de Temer de que ele nada tratou que não fosse republicano com o delinquente Joesley Batista. E os federais conseguiram também provas irrefutáveis de que Geddel Vieira Lima foi mesmo ao aeroporto de Salvador apanhar propina paga pelo delator Lúcio Funaro em troca de favores prestados ao PMDB de Temer e Eduardo Cunha no dia do aniversário de 15 anos de sua filha. Ou seja, delação premiada tem uso, sim.

(Comentário no Jornal Eldorado da Rádio Eldorado (FM 107,3) na quinta-feira 14 de junho de 2018, às 7h30m)

Para ouvir clique aqui e, em seguida, no play

Para ouvir Você não soube me amar, com Blitz e Fernanda Abreu, clique aqui

 

 

 

Abaixo, os assuntos do comentário da quinta-feira 14 de junho de 2018

 

1 – Haisem Que revelações feitas no noticiário de ontem desmentem a lenda urbana de que a delação premiada não prova nada e, por isso, não ajuda a investigar processos criminais relevantes?

 

2 – Carolina Já que as polícias e os militares da intervenção federal na segurança do Rio não conseguem provas que esclareçam a execução da vereadora Marielle Franco e do motorista Anderson Gomes, a solução será culpar o mordomo? Mas ainda há mordomos por aí?

SONORA_BRAGA NETO 1406

 

3 – Haisem Você acha que a viúva de Marielle Franco, a arquiteta Mônica Benício, teria alguma razão para acreditar que, durante a Copa do Mundo da Rússia, as polícias e os militares da intervenção na segurança do Rio trabalharão de forma menos intensiva para continuar a investigar a execução de Marielle Franco e Anderson Gomes?

 

4 – Carolina A lei eleitoral poderá realmente desenvolver métodos de censura para impedir que humoristas façam piadas a respeito de eventuais candidatos ou a queixa levada ao Supremo Tribunal Federal neste sentido é exagerada, em sua opinião?

 

5 – Haisem A seu ver, a condução coercitiva, tema do debate do momento no Supremo Tribunal Federal, é um abuso de autoridade contra os direitos e a dignidade dos cidadãos suspeitos, como alega seu maior crítico, o ministro Gilmar Mendes, ou um instituto sem o qual a Operação Lava Jato não disporia de condições para fazer seu trabalho de combate à corrupção?

SONORA_BARROSO 1406

 

6 – Carolina Por que o juiz federal Sérgio Moro manteve bloqueados bens do réu Luiz Inácio Lula da Silva, que pretende usar a parte de sua finada esposa, Marisa Letícia, que considera de seu direito?

 

7 – Haisem – Qual é a maior novidade do depoimento dado à Polícia Federal por um segurança que prestou serviços à Presidência da República à época do governo Lula no sítio, Santa Bárbara, em Atibaia?

 

8 – Carolina – Há algum motivo relevante para a desavença entre os ministros da Segurança Pública, da Cultura e do Esporte pelo uso por suas pastas de recursos obtidos em apostas na Loteria da Caixa Econômica Federal?

 

SONORA Você não soube me amar, Blitz

https://www.youtube.com/watch?v=L3bdBOzXo9w