As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

O palanque de Bolsonaro na ONU

residente brasileiro abriu assembleia-geral inculpando índios e caboclos por incêndios na Amazônia, orgulhando-se de sua gestão da pandemia, considerada a pior de todas no mundo, e dizendo-se vítima de cristofobia

José Nêumanne

23 de setembro de 2020 | 21h43

Na abertura da assembleia´geral da ONU, Bolsonaro expôs ao mundo seu compromisso com a mentira num discurso visando apenas a seu objetivo de chegar ao segundo turno em 2022. Foto: Reprodução

O presidente Jair Bolsonaro aproveitou o destaque dado pela tradição anual de o Brasil abrir a Assembleia-Geral da ONU para subir no palanque da eleição de daqui a mais de dois anos e desfraldar sua bandeira da existência de uma conspiração mundial para derrubá-lo do poder. Em vez de apresentar fatos ou dados que o ajudassem a sustentar de pé essa miragem, disparou mentiras absurdas como a existência de uma “cristofobia” e a culpa de índios e caboclos pela devastação das franjas da Amazônia pelo fogo. Lamentou ainda o alto custo da hidroxicloroquina para deter o avanço do novo coronavírus e fez vergonhosa campanha pela reeleição de seu ídolo, Donald Trump, que não lhe dá a menor bola, para a presidência dos Estados Unidos.

Para ouvir clique no link abaixo e, em seguida, no play

 

Assuntos para comentário da quarta-feira 23 de setembro de 2020

1 – Haisem – Na ONU, Bolsonaro distorce dados sobre pandemia e covid – Esta é a manchete de primeira página da edição impressa do Estadão hoje – Na sua opinião, que motivo levou o presidente brasileiro a abrir a assembléia-geral das Nações Unidas com tantas fake news

2 – Carolina – De onde o presidente Jair Bolsonaro tirou a informação de que o pagamento do auxíllio emergencial durante a pandemia no Brasil “se aproximou dos mil dólares?

3 – Haisem – Mendacidade na ONU – Este é o título do primeiro editorial do Estadão de hoje. O que justifica o uso de uma palavra tão pesada quanto este sinônimo de mentira

4 – Carolina – Carlos comprou imóvel com dinheiro vivo – Este é o título de uma chamada na primeira página de nosso jornal hoje. Por que a notícia mereceu tanto destaque, apesar de já haver ocorrido há tanto tempo

5 – Haisem – O Globo deu manchete hoje à notícia de que o Brasil vive fuga de investidores estrangeiros, e questão ambiental pode piorar o quadro. Por que isso acontece e é tão importante para ser considerado na velocidade da retomada econômica quando a pandemia acabar

6 – Carolina – Qual a importância do alerta feito pelo Instituto Não Aceito a Corrupção sobre o risco que corre a lei da improbidade administrativa, vigente no País e essencial no combate à corrupção, pelo relatório do deputado federal do PT de São Paulo Carlos Zaratini

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: