O ódio inspira Lula e Bolsonaro

Não interessa quem inventou a polarização prevista como resultado da entrada do petista no cenário eleitoral de 2022, mas, sim, quem é democrata que vai enfrentá-la e vencê-la, como deveria

José Nêumanne

12 de março de 2021 | 07h57

 

De máscara, Bolsonaro imita Lula e polarização pode ser favorita no segundo turno da próxima eleição, em 2022. Foto: Alan Santos/PR

1 – A decisão de Fachin limpando a ficha do petista definiu que a favorita do segundo turno em 2022 será a polarização entre o gabinete do ódio que inspira o desgoverno atual e o ódio fajuto ao burguês que conduz slogans, insultos e mentiras do ex. 2 – Dizem que a cena eleiçoeira do ex-sindicalista de máscara no comício no sindicato inspirou o uso do apetrecho que seu filho 03 mandou o povo enfiar no rabo, mas essa é uma jogada eleitoral, e não gerencial, pois o capetão sem noção atacou o governador Dória na mesma solenidade em que o ministro da Saúde, Pesadelo, deixou claro que as vacinas que estão sendo aplicadas no Brasil devem-se primordialmente ao inimigo. Direto ao assunto. Inté. E só a verdade nos salvará.

Para ver vídeo no YouTube clique aqui

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.