O novo ministro da Educação

Boa notícia é que petista Paulo Vogel não será ministro da Educação no lugar de Weintraub, pois Bolsonaro nomeou o pastor presbiteriano Milton Ribeiro, ex-vice-reitor do Mackenzie

José Nêumanne

12 de julho de 2020 | 20h59

Milton Ribeiro, pastor da Igreja Presbiteriana Jardim Oração, de Santos, ex-vice-reitor do Mackenzie e especialista em Velho Testamento, será o quarto ministro da Educação de Jair Bolsonaro Foto: Mackenzie

Enfim, uma ótima notícia: o olavopetista Paulo Vogel não será promovido de secretário-geral a ministro da Educação. O presidente da República, Jair Bolsonaro, nomeou para o cargo o pastor presbiteriano Milton Ribeiro, que foi vice-reitor da Universidade Mackenzie. Só que ele já vai começar sendo desautorizado pelo chefe, pois Vogel, elogiado por Fernando Haddad, nomeou 11 dos 20 membros do Conselho Nacional de Educação sem consultá-lo previamente. O mínimo que se esperava do novo ministro é que substituísse a lista imposta, aproveitando que os novos membros não foram empossados. A Educação é o calcanhar de Aquiles do Brasil há muito tempo e não dá para esperar do novo titular que vire o jogo, mas é possível que, pelo menos, quebre a tradição do dedo podre do capitão cloroquina, que, quando não nomeia mal, troca por um pior. Que Deus inspire uma boa gestão dele. Direto ao assunto. Inté. E só a verdade nos salvará.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.