O impeachment e a olimpíada

O impeachment e a olimpíada

Por que Lewandowski quer que impeachment seja decidido depois, e não antes, da Olimpíada?

José Nêumanne

12 de julho de 2016 | 08h56

Lewandowski, à sombra de Lula

Lewandowski, à sombra de Lula

Até agora a Nação não foi informada por que cargas d’água o presidente do STF, Ricardo Lewandowski, que usurpou a condição de árbitro-chefe do processo de impeachment de Dilma Rousseff no Senado Federal, resolveu, sem consultar ninguém, que o julgamento final da afastada só pode ser feito depois da Olimpíada do Rio. Se o precedente não foi aberto no processo contra Collor, realizado sem atropelos e normalmente, em que jurisprudência ele encontrou inspiração para sua esdrúxula decisão. Ao contrário dele, a grande maioria dos cidadãos brasileiros quer que madama seja julgada – e condenada – o quanto antes.

(Comentário no Direto da Redação 3 da Rádio Estadão – FM 92,9 – na segunda-feira 11 de julho de 2016, às 18 horas)

Para ouvir clique aqui e, aberto o site da emissora, duas vezes no play sob o anuncio em azul

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.