O fenômeno Palocci
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

O fenômeno Palocci

Por 11 anos ileso no STF, Palocci é preso pela Lava Jato com R$ 128 milhões no banco

José Nêumanne

29 de setembro de 2016 | 11h44

BRA01. CURITIBA (BRASIL), 26/09/2016.- El exministro de Hacienda de Brasil, Antonio Palocci, uno de los hombres más influyentes en los Gobiernos de Luiz Inácio Lula da Silva y Dilma Rousseff, llega hoy, lunes 26 de septiembre de 2016,a declarar en el caso de corrupción de la Lava Jato donde es acusado de recibir sobornos para intervenir en ambas administraciones en defensa los intereses de la constructora Odebrecht, en Curitiba (Brasil). EFE/HEDESON SILVA

Palocci, 15 vezes no STF, enfim preso Foto HEDESON SILVA/EFE

Em sua coluna no Estadão, a colega Sonia Racy lembra que Antônio Palocci Filho escapou ileso de 2005 até agora de 19 processos criminais no STF, acumulados em suas passagens pela prefeitura de Ribeirão Preto, pela Câmara dos Deputados, pelo Ministério da Fazenda do desgoverno Lula, pela coordenação da campanha e pela chefia da Casa Civil de Dilma Rousseff. Ao longo deste tempo, ele mandou quebrar, de forma infame, o sigilo bancário de Francenildo dos Santos Costa, caseiro da mansão que servia de bordel e agência de entrega de propinas no Lago Sul em Brasília, e viu seu patrimônio aumentar 20 vezes. É, pois, um fenômeno de impunidade, que, até que enfim, cai.

(Comentário no Estadão no Ar da Rádio Estadão – FM 92,9 – na quinta-feira 29 de setembro de 2016, às 7h14m)

Para ouvir clique aqui e, aberto o site da emissora, 2 vezes no play sob o anúncio em azul

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.