O crime do hacker contra Moro é grave

Invasão de celulares de autoridades que combatem corrupção e crime organizado no Brasil é crime gravíssimo, segundo Gilmar Mendes, e, sobretudo, "em andamento", como definiu sua mais notória vítima, o ministro da Justiça, MJoro

José Nêumanne

15 de junho de 2019 | 00h33

No café da manhã com jornalistas, Bolsonaro disse que o que Moro fez enquanto magistrado “não tem preço”. Foto: Marcos Corrêa/PF

Sílvio Meira, expert em tecnologia de informação, me disse qe invasão dos celulares de Moro, Dallagnol e outras autoridades que combatem corrupção no Brasil foi planejada e executada por muita gente especializada, ao custo de muito dinheiro e dificilmente será desvendado e punido. Após divulgação dessas evidências, Bolsonaro defendeu seu ministro da Justiça e até o maior inimigo da Lava Jato, Gilmar Mendes, do STF, se tocou, assim como seu colega Marco Aurélio Mello, reconheceu a dificuldade de a cúpula da Justiça cancelar a condenação de Lula no caso do tríplex. Direto ao ao assunto. Inté. E só a verdade nos salvará.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.