O crime de João sem Deus
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

O crime de João sem Deus

Curandeiro responderá à Justiça por crimes de abuso sexual contra mulheres, mais frágeis fisicamente e também submetidas a seu poder espiritual, econômico e político e ao prestígio social de sua atividade

José Nêumanne

18 Dezembro 2018 | 07h13

Preso, ex-garimpeiro João Teixeira de Faria, responderá apenas às acusações mais recentes, mas não somente a crimes de natureza sexual. Foto: Ernesto Rodrigues/Estadão

À minha mãe devo a vida e ensinamentos básicos, tais como respeitar a mulher como objeto de amor e fonte de vida. Por isso, considero a violência contra qualquer mulher um crime covarde, abjeto e hediondo. Principalmente quando cometido por homens que já têm mais força física e também exercem poder de qualquer tipo: econômico, político, intelectual ou espiritual. O ex-garimpeiro João Teixeira de Faria, procurado para curar, em nome de Deus, doentes terminais, que não têm mais a que apelar, é acusado de ter abusado de todas essas agravantes ao longo do tempo, tendo sido protegido pela fortuna e pelo prestígio que acumulou em sua atividade, e responderá ao Estado por isso. Este é meu comentário no Estadão Notícias, no Portal do Estadão desde 6 horas da terça-feira 18 de dezembro de 2018.

Para ouvir clique aqui e, em seguida, no player