As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

O cinismo do tucano Serra

Operação Revoada, da Lava Jato, fez emergir com bloqueio de conta de ex-governador paulista grandes nomes da lavagem de dinheiro no Brasil, como José Amaro Pinto Ramos e Benedito Barbosa da Silva Jr.

José Nêumanne

05 de julho de 2020 | 21h27

Serra posava de vestal, mas não negou ser sua e da filha, Verônica, conta na Suíça, em que foram bloqueados R$ 40 milhões pela Lava Jato, fortuna até para magnatas. Foto: Alex Silva/Estadão

O senador do PSDB paulista reagiu com cínica inditgnação à investigação da Operação Revoada, da Lava Jato de São Paulo, sobre propinas que foi acusado de ter recebido quando era governador do Estado, apesar da comprovação dada pelo MP da Suíça, onde foi bloqueada conta bancária conjunta dele com a filha Verônica, com saldo encontrado de R$ 40 milhões. Disse que a acusação era velha, mas não a negou. A quantia foi lavada pelo doleiro José Amaro Pinto Ramos, que também operou propinas para o vice-almirante Othon Pinheiro da Silva, presidente da Eletronuclear, nos governos do PT. Com a derrubada da blindagem de Ramos, ficaram expostas falcatruas de Lula, tucanos de alta plumagem e empreiteiras corrupteiras, especialmente a Odebrecht. Tudo o que o ex-prefeito de São Paulo teve a dizer foi reclamar com falsa indignação, do registro antigo do furto, sem, contudo, justificar a origem dos milhões bloqueados na conta devassada. Quanta defaçatez, gente! Direto ao assunto. Inté. E só a verdade nos salvará.

Para ver vídeo no YouTube clique aqui

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: