No meio do redemoinho

No meio do redemoinho

Versão do amigo Yunes sobre pacote de doleiro põe chefe da Casa Civil e presidente na tempestade

José Nêumanne

24 de fevereiro de 2017 | 19h06

Padilha vai pra cirurgia antes que seja jogado no abismo Foto Joédson Alves/EFE

Padilha vai pra sala de cirurgia antes que seja sacrificado e atirado de volta à planície Foto Joédson Alves/EFE

O estrago que o depoimento de José Yunes, advogado paulista e primeiro amigo do presidente Temer, causará na imagem do chefe da Casa Civil e também na do chefe do governo será muito grande. Por mais que Temer tenha dito que só afastará do cargo o ministro que tenha sido denunciado pela Procuradoria Geral da República ao Supremo Tribunal Federal, a situação de Padilha se tornará insustentável, de forma similar ao que aconteceu copm Geddel Vieira Lima. O afastamento temporário de Padilha para tratar da saúde não bastará para limpar a barra do presidente. Temer terá de demitir mais um e, sobretudo, se explicar pro povão. E não pode ficar esperando tudo virar cinzas na quarta-feira.

(Comentário no Pauta do Dia da Rádio Estadão – FM 92,9 – na sexta-feira 24 de fevereiro de 2017, às 18h08m)

Para ouvir clique aqui e, aberto o site da emissora, 2 vezes no play sob o anúncio em azul

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.