Nem recorde de óbitos acorda o Brasil

No momento em que as mortes por covid 19 bateram recorde diário com 1.726 mortes, presidente não sai da normalidade, oposição continua inerte e defensores das instituições escondem-se em seus tugúrios

José Nêumanne

03 de março de 2021 | 20h08

Coveiros preparam novos túmulos para serem usados ​​no cemitério de Vila Formosa, em São Paulo, em meio ao surto da doença coronavírus, que bateu recorde de 1.726 em 24 horas. Foto: REUTERS/Amanda Perobelli

Este país registrou recorde do número de mortes em 24 horas desde o início da pandemia com 1.726 novos óbitos na terça-feira 2, segundo o consórcio de veículos de imprensa. A média móvel de mortes pela doença também bateu recorde ao somar 1.274. A sequência de balanços altos ocorre no momento em que nós enfrentamos o pico da crise causada pelo coronavírus. O número total de mortes chegou a 257.562. No editorial O alto custo da baixa política, o jornal O Estado de S. Paulo, resumiu uma tragédia ainda pior: “Enquanto o presidente cuida de interesses pessoais e familiares, sempre os mais destacados em sua agenda, o governo segue sem rumo e o País mal consegue manter a recuperação iniciada em maio do ano passado e já enfraquecida. Esses dados bastariam para compor um quadro preocupante”.

Para ouvir comentário clique aqui e, em seguida, no play

 

Assuntos para comentário na quarta-feira 3 de março de 2021

1 – Haisem –  País tem recorde de mortes e São Paulo pode entrar em fase vermelha – Esta é a manchete da edição impresso do Estadão de hoje. Você diria que esta tragédia terrível foi surpreendente ou pelo menos inesperada diante da forma errática como o Estado brasileiro enfrenta a pandemia

2 – Carolina – Intervenção de Bolsonaro faz disparar dólar e risco país – Este é o título de uma chamada também no alto da primeira página do jornal desta quarta-feira. Que conseqüências positivas você espera desta notícia pra lá de negativa a esta altura da pandemia e da recessão

3 – Haisem – Os efeitos maléficos do desgoverno Bolsonaro – Este é o título de seu artigo, que abre a página de Opinião do Estadão hoje. Você acha justo atribuir a principal responsabilidade por esta tragédia sanitária, econômica e social à atuação do presidente da República

4 – Carolina – CVM avalia apurar lucro atípico de ação da Petrobrás – Este título de outra chamada na primeira página do jornal prenuncia escândalo de enormes dimensões. Você está preparado para comentar o ponto a que ele pode chegar

5 – Haisem – Flávio afirma que comprou casa com “recursos próprios” – Este é o título da manchete da página A10 da editoria de política do Estadão que circula hoje. A seu ver, a compra de uma mansão pelo primogênito do presidente da República é motivo suficiente para a péssima repercussão que está tendo no momento

6 – Carolina – STF livra Lira do “quadrilhão do PT” – Este é o título de mais uma chamada de primeira página do jornal de hoje. Que conseqüências esse decisão da Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal terá sobre o legado da Lava Jato em particular e o combate à corrupção em geral

 

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.