…nem com uma flor…
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

…nem com uma flor…

Presidente do Senado aprendeu com sábio pai sertanejo a comer pouco, dormir muito e não brigar com mulher.

José Nêumanne

10 de maio de 2016 | 10h53

 

Renan e Gleisi entre gritos e frases

Renan e Gleisi entre gritos e frases

Renan Calheiros estava inspirado na sessão de segunda do Senado, na qual jogou no lixo, para desgosto de Dilma, o ofício redigido pelo advogado genial de madama, José Eduardo Maranhão Cardozo, e assinado pelo presidente interino da Câmara, Waldir Martins Maranhão.

Quando foi cercado aos berros pelas combativas, porém histéricas, dames Fátima Bezerra, Gleisi Hoffmann e Vanessa Grazziottin, suspendeu a sessão vaticinando:

– Vou suspender a sessão por dois segundos, para que Vossas Excelências gritem em paz.

Ao reabri-la, contemporizou:

= Quando todos brigam, todos perdem.

Minha avó Nanita, sábia de Luís Gomes, repetiu essa frase à exaustão, mas vejo que, mesmo sem conhecê-lo, Renan aprendeu a lição melhor do que eu. Deve tê-la ouvido de Tancredo Neves, que a usava como lema de vida.

– Chumbo trocado não dói – também ensinava vovó. E esta eu aprendi. Como aprendi por experiência própria a máxima que o presidente do Senado ouviu do pai em Murici, no sertão de Alagoas, no tempo em que os Calheiros só apareciam no noticiário policial nacional por conta das mortes que colhiam nos tiroteios com os parentes do truculento Cabo Henrique Omena, da PM de Alagoas. O ensinamento paterno do herói improvável da segunda-feira em que nenhuma brasileiro morreu de tédio é diariamente praticada lá em casa:

– O segredo da vida é comer pouco, dormir muito e não brigar com mulher.

Não é magnífica? Eu já comi demais, como muito menos do que comeria e gostaria. Jà dormi mais, hoje durmo cada vez menos. Mas não tem quem me faça brigar com a mulher. Nem ela.