Nação envergonhada
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Nação envergonhada

Prisão do presidente da empresa que administra porto de Santos deixa Temer, Padilha e Moreira muito mal na foto, embora, protegidos pelo foro privilegiado, só possam ser processados em 2019

José Nêumanne

01 Novembro 2018 | 12h20

Enquanto Padilha cuida da transição em Brasília, Temer e Moreira comparecem a evento do açúcar e do álcool, em São Paulo. Foto: Felipe Rau/Estadão

A substituição da diretores da Companhia Docas do Estado de São Paulo, estatal que administra o Porto de Santos, motivada pelas prisões de vários, incluído o ex-presidente Alex Botelho de Oliva, exuma o escândalo que o presidente Michel Temer e seus assessores diretos Eliseu Resende e Moreira Franco pretendem sepultar. A tentativa de justificar a inclusão de seus nomes pela perseguição do ex-procurador-geral da República, Rodrigo Janot, cai por terra, embora ainda os protegerá o infame manto do foro privilegiado até 31 de dezembro próximo, quando acabam seus mandatos de presidente e ministros. Envergonhada, a Nação conta com o novo governo para restaurar a própria dignidade perdida.

(Comentário no Jornal Eldorado da Rádio Eldorado – FM 107,3 – na quinta-feira 1 de novembro de 2018, às 7h30m)

Para ouvir clique aqui e, em seguida, no play

 

Assuntos para o comentário de quinta-feira 1 de novembro de 2018

 

1 – Haisem – Que consequências trará para o presidente Michel Temer a prisão pela Polícia Federal do presidente da Companhia Docas de Santos, José de Alex Botelho de Oliva, determinada ontem pela Polícia Federal no âmbito da investigação sobre delações premiadas que o envolvem na pretensa cobrança de propinas para favorecer concessionárias?

 

2 – Carolina – Neste mesmo assunto, por que, então, antes, a procuradora-geral da República, Raquel Dodge, e, depois, o relator do caso, ministro do Supremo Tribunal Federal Luiz Edson Fachin, suspenderam temporariamente a investigação de Temer no caso?

 

3 – Haisem – O que você tem a questionar diante da notícia de ontem, dada no site BR 18 do Estadão, de que o presidente eleito deverá ser submetido a nova cirurgia, agora para fechar a colostomia, após 12 de setembro, segundo o cirurgião, ainda para evitar consequências da facada por ele sofrida em Juiz de Fora no dia 6 de setembro?

 

4 – Carolina – Qual a disposição dos ministros do Tribunal Superior Eleitoral de ao julgarem ações ainda abertas sobre a disputa da eleição para presidente evitar o que já se está chamando de “terceiro turno”?

 

5 – Haisem – O que, na sua opinião, motivou o candidato derrotado à Presidência da República, Guilherme Boulos, a convocar militantes de seu Movimento dos Trabalhadores Sem-Teto, sindicalistas e estudantes para protestarem contra o presidente eleito há quatro dias, Jair Bolsonaro?

 

6 – Carolina – O que, na sua opinião, provocou a decisão de partidos da esquerda de não se aliarem ao PT num bloco de oposição ao futuro governo de Jair Bolsonaro, do PSL?

 

7 – Haisem – Por que o presidente eleito Jair Bolsonaro resolveu limitar seu governo dos atuais 26 para 15 ministérios e você acha que ele conseguirá fazê-lo, apesar de todas as pressões em contrário?

 

8 – Carolina – Quais terão sido os motivos que levaram os governadores eleitos de São Paulo, João Dória Jr., e de Minas, Romeu Zema, a anunciarem pelo Twitter, de não se mudarem para os palácios que tradicionalmente são destinados aos ocupantes do cargo?