Moro salvou 10 mil vidas

Política anticrime do ministro da Justiça reduziu em 2019 19% de crimes violentos e salvando vida de 10 mil brasileiros, mesmo sob insultos de deputado do PSOL, proferidos com complacência de coleguinha do Centrão

José Nêumanne

16 de fevereiro de 2020 | 08h37

Braga insultou Moro, com complacência de Ramos, do Centrão, ex-PCdoB e PSB, que não percebem que quanto mais xingam ministro mais o povo o ama. Foto: Lúcio Bernardo Jr/Câmara dos Deputados

Na semana em que, sem ter nenhuma informação válida a respeito, o deputado federal do PSOL do Rio Glauber Braga acusou o ministro da Justiça e da Segurança Pública, Sergio Moro, de ser capanga de milícias, o índice de mortes violentas coletado pelo Portal G1, das Organizações Globo, insuspeitas de qualquer simpatia pela Lava Jato e pelo governo Bolsonaro, divulgou a queda em 19%: ou seja, 10 mil brasileiros deixaram de morrer em 2019. O total ainda é enorme, 41.635 assassinatos, mas a redução em relação a 2018 é mais do que suficiente para justificar os altos índices de popularidade de um verdadeiro herói nacional, apesar da campanha contra ele movida por esquerda, centrão e beneficiários da violência neste País. No dia da vacinação contra sarampo, em que se noticiou a morte de David Gabriel dos Santos, de oito meses, no Rio, dessa doença, convém registrar esta vitória da vida, que ainda enfrenta parasitas oportunistas mortais na República. Direto ao assunto. Inté. E só a verdade nos salvará.

Para ver vídeo no YouTube clique aqui

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.