Moro, a verdade na política

Moro, a verdade na política

Na CCJ ministro esmagou quem bancou engraçadinho com ele: Renan questionando delação premiada, Wagner comparando hackeamento criminoso com divulgação de telefonema de Lula e Dilma e Humberto dando spoiler do que não podia saber

José Nêumanne

20 de junho de 2019 | 19h12

Ignorando leis que ele mesmo assinou quando ministro da Justiça de FHC, Renan bancou bobo questionando Moro sobre delação premiada. Foto: Gabriela Biló/Estadão

Em seu depoimento na CCJ, Moro mostrou como a verdade pode ser usada como arma política, surpreendendo todos quantos tentaram desmoralizá-lo naquela reunião. Na ocasião, Renan Calheiros mostrou que minha avó tinha razão quando dizia que todo canalha tem seu dia de otário. Humberto Costa fez mais um spoiler prevendo mais revelações do site The Intercept Brasil. Rogério Medeiros levou um carão do ministro da Justiça ao fantasiar sobre eventuais combinações entre ele e o TRF 4. E Flávio Bolsonaro pisou na bola perguntando sobre fake news do “pavão misterioso”. Direto ao assunto. Inté. E só a verdade nos salvará.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.