Montadoras mandam no Brasil
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Montadoras mandam no Brasil

Repetindo o que fizeram antecessores desde Juscelino e principalmente Lula, Temer anunciou no Salão do Automóvel prebendas para indústria automobilística até 2030, 12 anos depois de findo mandato

José Nêumanne

09 Novembro 2018 | 07h14

No Salão do Automóvel, Temer anuncia benesses para montadoras de automóveis até 2030, como fizeram seus antecessores, desde Juscelino Kubitschek. Foto: Celso Itibirê/PR

A indústria automobilística manda no Brasil desde que Juscelino Kubitschek cometeu o erro fatal de substituir a opção pela rodovia, transformando a malha ferroviária em sucata nos anos 50. Desde então, o Estado brasileiro tem sido refém das montadoras, não apenas, mas principalmente no governo Lula, levando o ex e o principal lobista do setor industrial, Mauro Marcondes, para a cadeia em Brasília. E agora Temer exagerou ao decretar novas prebendas para ela, ao estendê-las a menos de dois meses de aliviar a Nação com sua retirada da Presidência, anunciando-as para até 2030, por mais 12 anos, ou seja, três futuros mandatos presidenciais, sem consultar o próximo e primeiro deles. Este é meu comentário no Estadão Notícias, no Portal do Estadão desde 6 horas de sexta-feira 9 de novembro de 2018.

Para ouvir clique aqui e, em seguida, no player