As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Milícias no gabinete de Flávio

Vaivém de depósitos entre contas de Queiroz, gestor das finanças do gabinete de Flávio na Alerj, com mãe e ex-mulher do miliciano Adriano, era na casa de milhão de reais, sempre em dinheiro vivo, sem origem

José Nêumanne

22 de julho de 2020 | 19h43

Advogado de Flávio, Botto Maia, Raimunda, mãe de Adriano, e Márcia, mulher de Queiroz. Foto: MP-RJ

Investigações da polícia e do Ministério Públicomapearam ao menos sete ligações entre o ex-assessor parlamentar Fabrício Queiroz, preso desde o dia 18, e o miliciano Adriano da Nóbrega, morto em fevereiro. A relação entre eles começou nos anos 1990, quando eram PMs, passa por 2003,  quando foram alvos de uma investigação de homicídio, e chega a dezembro de 2019, quando familiares dos dois se encontraram para combinar fuga, de acordo com promotores. Em 2007, Queiroz foi nomeado para o gabinete de Flávio Bolsonaro na Alerj. A ex-mulher do capitão Adriano, Danielle Mendonça da Nóbrega, e a mãe dele, Raimunda Veras Magalhães, receberam R$ 1 milhão de salários da Alerj entre 2007 e 2018, supostamente sem trabalhar. Os investigadores rastrearam R$ 400 mil em depósitos de Adriano para Queiroz.

Para ouvir comentário clique aqui e, em seguida, no play

 

Assuntos para comentário na quarta-feira 22 de julho de 2020:

1 – Haissem – Investigações mapeiam sete elos entre Queiroz e capitão Adriano – diz a manchete da edição política do Portal do Estadão que está no ar. O que será que, a seu ver, ainda há para revelar sobre as relações íntimas entre os milicianos da periferia do Rio e o guarda-livros do família do presidente da República, Jair Bolsonaro,

2 – Carolina – Proposta do governo prevê imposto menor para bancos – esta é a manchete de primeira página da edição impressa do Estadão de hoje. O que este destaque revela de relevante na ação de Paulo Guedes, que Bolsonaro chama de seu posto Ypiranga da economia oficial, hein?

3 – Haissem – ‘Nova contribuição terá a carga negativa da velha CPMF’ – é o título destacado da coluna de Rosângela Bittar na capa do Portal do Estadão que está no ar neste instante. Seria, então, uma forma direta de denunciar um passa moleque no projeto de reforma tributária do governo federal enviado para debate no Legislativo

4 – Carolina – Fundeb deve favorecer 17 milhões de novos alunos – destaca título de chamada de primeira página do Estadão de hoje. A decisão do Congresso derrotando ao governo teria mesmo, a seu ver, o valor histórico que lhe foi atribuído pela relatora, professora Dorinha, Nêumanne

SONORA PROFESSORA DORINHA 2207

5 – Haissem – Qualicorp fez  repasse de caixa 2 para Serra, diz PF – é o título de uma chamada de primeira página do Estadão de hoje. Qual é a gravidade desta denúncia da Operação Lava Jato de São Paulo e que efeitos poderá ela ter sobre o futuro eleitoral do PSDB neste ano e em 2022

6 – Carolina – ‘Bolsonaro transforma militares em casta (ainda mais) privilegiada’ – é o título da chamada do artigo de Vera Magalhães na capa do Portal do Estadão – O que, a seu ver, há de surpreendente nesta afirmação da colega

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: