Meu palácio, minha vida
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Meu palácio, minha vida

Rejeitado por 94% dos brasileiros e comandando Estado em penúria, Temer não larga o osso

José Nêumanne

26 de julho de 2017 | 12h19

Temer e Maggi, cuja fazenda foi invadida pelo MST, no Palácio do Planalto Foto: André Dusek/Estadão

Segundo a pesquisa Pulso Brasil, feita pelo Ipsos Public Affairs, 94% dos entrevistados reprovam a atuação de Temer à frente do governo, um ponto porcentual a mais que na pesquisa realizada um mês antes. Segundo o responsável pela pesquisa, Danilo Cersosimo, “os efeitos da crise política e da delação premiada de Joesley Batista ainda se mantêm”. O humor popular não deve prevalecer sobre os preceitos constitucionais, mas está mais do que na cara que a impopularidade de Temer é justa. Ele nunca foi muito querido, mas agora há um sentimento quase unânime de que as condições de governabilidade não existem e Temer deveria prestar mais atenção a isso, se tiver, não apenas grandeza, mas também juízo.

(Comentário no Jornal Eldorado da Rádio Eldorado – FM 107,3 – na quarta-feira 26 de julho de 2017, às 7h30m)

Para ouvir clique aqui e, em seguida, no play

Para ouvir Despacito do Maduro clique aqui

Para ouvir no Blog do Nêumanne, Poliltica, Estadão, clique aqui

 

 

Abaixo, a íntegra da degravação do comentário:

Eldorado 26 de julho de 2017 Quarta-feira

O nível de reprovação dos brasileiros em relação ao presidente Michel Temer atingiu 94%, novo recorde absoluto, segundo pesquisa feita pela Ipsos Public Affairs. Você acha que isso alterará a História do Brasil?

Segundo a pesquisa Ipsos, 94% dos entrevistados reprovam a atuação de Temer à frente do governo, um ponto porcentual a mais que na pesquisa realizada um mês antes.

“Identificamos que os efeitos da crise política e da delação premiada de Joesley Batista ainda se mantêm. Esse quadro tende a se manter nos próximos meses com a pauta do aumento de impostos”, comentou Danilo Cersosimo, diretor da Ipsos Public Affairs, responsável pelo Pulso Brasil.

Além disso, foram analisadas a popularidade de 33 nomes listados entre políticos e personalidades públicas. Os mais populares são o juiz Sérgio Moro (64%), o apresentador Luciano Huck (45%), o ex-presidente do Supremo Tribunal Federal (STF) Joaquim Barbosa (44%), o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (29%), a presidente do STF, Cármen Lúcia (28%), e o procurador-geral da República, Rodrigo Janot (24%).

Na contramão, os mais impopulares são o próprio Michel Temer (94%); o deputado cassado Eduardo Cunha, do PMDB-RJ, que está preso (93%); o senador do PSDB-MG Aécio Neves (90%); o senador do PMDB-AL Renan Calheiros e a ex-presidente Dilma Roussef empatados com 80%, e o senador do PSDB-SP José Serra (75%).

A pesquisa aponta também que, para 95% dos brasileiros, o País está no rumo errado.

Não acredito que o humor popular possa prevalecer sobre os preceitos constitucionais, mas está mais do que na cara que a impopularidade de Temer tem razões específicas. Ele nunca foi o queridinho das massas, mas há um sentimento quase unânime de que as condições de governabilidade não existem na atual circunstância e Temer poderia prestar atenção a isso, se tivesse, não apenas grandeza, mas também sensatez, até juízo.

Mas você acha que Temer não tem?

Qual o quê. Ele assumiu de vez o papo furado da recuperação da economia e falou disso em cerimônia no Palácio do Planalto ontem, ao anunciar mudanças de regras para o setor de mineração, aliás muito criticadas. Em discurso, Michel Temer fez questão de ressaltar o protagonismo do Congresso.

SONORA 2607 TEMER

Prestígio no Congresso ele tem, mas apenas o suficiente para evitar a autorização para o Supremo mandar seguir a investigação pedida por Janot. Condições de governar, nem tanto. Acabo de ler notícia sobre a situação de penúria do Estado brasileiro: declarado patrimônio da humanidade, cais do Valongo, no Rio, amanheceu alagado.

Esta pesquisa foi feita antes do aumento dos impostos dos combustíveis. Você acha que os índices podem ter piorado?

O atual ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, sinalizou que o governo deverá recorrer imediatamente sobre a deliberação do Tribunal Regional Federal no Distrito Federal (TRF-DF) que suspendeu o aumento dos combustíveis que vinculava as alíquotas de Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social (Cofins) e do Programa de Integração Social (PIS), editado pelo governo federal na quinta-feira (20).

A pasta da Fazenda confirmou que a Advocacia-Geral da União (AGU) protocolou o recurso para caçar a decisão do TRF-DF da 1ª Região.

SONORA 2607 MEIRELLES

Meirelles também alertou para o cálculo das alíquotas para que não afetasse tanto o bolso dos brasileiros, pois o Pis e Confins são os impostos “mais eficientes”, salientou o ministro.

Enquanto o Palácio do Planalto tenta cortar gastos e equilibrar as contas públicas, o Conselho Superior do Ministério Público Federal decidiu nesta terça-feira, 25, incluir na proposta orçamentária de 2018 um reajuste de 16,3% para os procuradores da República. Isso dá uma idéia do verdadeiro espírito público dos procuradores?

O impacto na folha de pagamento previsto para o ano que vem é de 116 milhões de reais. Os conselheiros também aumentaram a previsão orçamentária para a força-tarefa da Operação Lava Jato em 2018 de 522 mil para 1 milhão e 650 mil. Atualmente, o salário bruto dos membros do Ministério Público Federal varia de 28 mil reais a 33 mil e 700 reais, segundo a Associação Nacional dos Procuradores da República (ANPR). O valor máximo corresponde à remuneração bruta do procurador-geral da República, que é igual a dos ministros do Supremo Tribunal Federal, considerado o teto do funcionalismo público.

Os procuradores demonstraram ter corporativismo muito superior ao espírito público.

E o que me diz quanto ao espírito público do presidente Temer?

O deputado Pedro Paulo (PMDB/RJ) disse há pouco ao Broadcast Políticoque o presidente Michel Temer garantiu o montante de R$ 13 milhões para as escolas de samba do Rio para o desfile do ano que vem. A Prefeitura do Rio reduziu em 50% o repasse das escolas para o desfile de 2018. Segundo o deputado, o Presidente da Liga Independente das Escolas de Samba do Rio de Janeiro (Liesa), Jorge Luiz Castanheira Alexandre, fez uma apresentação e mostrou a necessidade de R$ 13 milhões, apesar de que ao todo foram cortados pela prefeitura R$6,5 milhões.

“Pedimos intervenção do governo no carnaval. O presidente garantiu esses recursos, disse que carnaval não terá falta de recursos”, afirmou. Paulo disse ainda que os R$ 13 milhões serão conseguidos via “patrocínio ou via apoio direto do orçamento do governo federal”

O deputado disse que Temer determinou que o novo ministro da Cultura, Sergio Sá Leitão, e o ministro do Turismo, Marx Beltrão, façam “a engenharia necessária” para garantir a promessa feita aos sambistas. “O presidente falou que podemos voltar e anunciar o carnaval e disse ‘o governo federal vai garantir o carnaval do Rio com os mesmos recursos dos outros anos’”, afirmou o deputado carioca. O que temos a ver com o carnaval?

Ou seja: Temer só quer saber de se manter na Presidência gastando os caraminguás dos cofres públicos, mesmo que tenha alcançado os mais altos índices de impopularidade da História. Isso contradiz tudo o que ele diz.

O MST invadiu fazendas de políticos e personalidades comprometidas nas denúncias de corrupção por motivo de alto civismo?

A notícia da invasão das fazendas de Blairo Maggi, coronel PM SP João Baptista Lima, Ciro Nogueira e do cartola Ricardo Teixeira, é puro marketing para mascarar a insignificância do MST. Mas termina lembrando também que Lula e Dilma em 13 anos e meio de governo não distribuiu as terras que prometeu e o MST queria e continua cobrando.

Editorial do Estadão A ousadia do MST

O “exército de Stédile” preferiu concentrar-se em terras de “latifundiários” que “são acusados, no cumprimento de função pública, de atos de corrupção”. Sob esse excêntrico argumento, que nada tem a ver com reforma agrária, invadiu a fazenda de um amigo do presidente Michel Temer, além de terras do ex-presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) Ricardo Teixeira, da família do senador Ciro Nogueira (PP-PI) e da família do ministro da Agricultura, Blairo Maggi, entre outras propriedades.

Prometeu impedir impeachment de Dilma e a condenação de Lula. Não conseguiu. Dilma foi deposta e Lula vê militantes cada vez em menor número protestando contra a sentença do juiz Sérgio Moro. Eu diria que a possibilidade de movimentos sociais porem fogo no Brasil para evitar a condenação do padim está próxima de ser considerada minguante, como uma das fases da lua. Aliás, por falar nisso, o TRF4 manteve ontem os bloqueios dos bens de Lula sentenciados por Moro, sabia?

Volto ao editorial do Estadão hoje para confirmar e reforçar meu argumento

Tudo isso seria apenas anedótico não fosse a constatação de que o MST continua a atuar livremente, embora infrinja a lei dia e noite. Mais do que isso: confiante na impunidade, sente-se estimulado a cometer seus crimes em nome de uma agenda política deletéria, que inclui não apenas “derrotar o projeto da burguesia”, mas também promover a defesa intransigente de ditaduras latino-americanas, como a da Venezuela, com a qual, aliás, o MST mantém estreita colaboração. O Estado não pode continuar inerte diante de quem desafia a ordem de modo tão insolente.

Você gostou da versão de Despacito que Maduro roubou para fazer propaganda da eleição de sua constituinte particular domingo na Venezuela?

O presidente venezuelano, Nicolás Maduro, que mandou prender três juízes indicados pelo parlamento de maioria oposicionista para a suprema corte alternativa, adotando prática defendida pelo presidente da comissão especial para reforma de nosso código de processo penal, Danilo Forte, PSB do Ceará, indo pro DEM, disse ontem que é “vítima de uma perseguição mundial” vinda de Miami com a proibição de uma versão da música Despacito com a qual promove a Assembleia Constituinte.

“Saíram de Miami para proibir o vídeo de Maduro. É um vídeo proibido no mundo, pela ditadura imperialista, não se pode ouvir. O estão eliminando; a perseguição mundial contra mim”, denunciou o presidente durante um ato em Caracas.

Maduro voltou a compartilhar em transmissão televisiva o áudio de sua versão do hit mundial dos artistas porto-riquenhos Luis Fonsi e Daddy Yankee, que com toda razão reclamaram do roubo de seu imenso sucesso mundial.

Todo mundo já deve ter ouvido a música original. Vou pedir ao almirante Nelson que toque a versão do imaturo comandante Maduro. Embora eu preferisse a malemolência de Martinho da Vila em Devagar, devagarinho

SONORA Despacito Maduro

http://ultimosegundo.ig.com.br/mundo/2017-07-24/maduro-despacito.html 

Tudo o que sabemos sobre:

José Nêumanne PintoDireto ao assuntoJornal EldoradoRádio EldoradoFM 107.3Haisem AbakiMichel Temer (PMDB-SP)Presidente da RepúblicaInstituto Ipsos Public AffairsPesquisa Filtro Brasil94% de ImpopularidadeDanilo CersosimoResponsável pela PesquisaJuiz Federal Sérgio MJoro (+64%)Apresentador de TV Lucianlo Huck (+ 45%)Supremo Tribunal Federal (STF)Ministro do STF Joaquim Barbosa (+44%)Ex-Presidente do STFLuiz Inácio Lula da Silva (PT-SP) (+29%)Ex-Presidente da RepúblicaMinistra do STF Cármen Lúcia (+28%)Presidente do STFMinistério Público FederalRodrigo Janot (+24%)Procurador-Geral da República (PGR)Deputado Cassado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) (-93%)Ex-Presidente da Câmara dos DeputadosSenador Aécio Neves (PSDB-MG) (-90%)Presidente Nacional do PSDB LicenciadoSenador Renan Calheiros (PMDB-AL) (-880%)Ex-Presidente do Senado (-80%)Dilma Rousseff (PT-RS) (-80%)Senador José Serra (PSDB-SP) (-75%)Ex-Governador do Estado de São PauloCais do ValongoRio de JaneiroPatrimônio da Humanidade AlagadoEstado em PenúriaPalácio do PlanaltoCongresso NacionalHenrique MeirellesMinistro da FazendaAumento do PIS/Confins dos Impostos Sobre DerivadosAdvocacia Geral da União (AGU)Conselho }Superior do Ministério Público FederalAumento de 16.3% dos Salários de ProcuradoresDeputado Pedro Paulo (PMDB-RJ)Broadcast PolíticoO Estdo de S. PaujloForça-Tqarefa da Operação Lava JatoAssociação Nacional dos Procuradores da República (ANPR)Prefeitura Municipal do Rio de JaneiroCarnaval do RioEstado do Rio de JaneijroLiga Independente das Escolas de Samba do Rio de Janeiro (Liesa)R$ 13 Milhões de Berbas FederaisJornalista Sérgio de Sá LeitãoMinistro da CulturaPosseMarx BeltrãoMinistor do TurismoMeu Palácio Minha VidaMovimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST)Blairo Maggi (PP-MT)Ministro da AgriculturaCoronel PM SP Aposentado João Baptista de LimaAmigo de TemerRicardo TeixeiraEx-Presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF)João Pedro StédileExército de BrancaleoneVenezuelaDespacitoNicolás MaduroPresidente da VenezuelaDeputado Danilo Forte (PSB-CE)Presidente da Comissão Especial da Reforma do Código do Processo Penal (CPP)Luís FonsiDaddu YankeeDevagar DevagarinhoMartinho da Vila

Tendências: