Mercadinho de pulgas

Mercadinho de pulgas

Cunha e Dilma são baluartes da confusão de público e privado

José Nêumanne

08 de julho de 2016 | 10h40

Cunha não chora por nós

Certamente não foi por nós que Cunha chorou quando renunciou

Renúncia de Eduardo Cunha traz a lume duas graves distorções da democracia representativa brasileira que continuam muito longe da solução: o primeiro é a confusão que os e as profissionais da política fazem entre o público e o privado, usando o patrimônio coletivo nosso como extensão do particular deles. Isso vale para Cunha e para seus desafetos do PT. O segundo é a completa desmoralização institucional da Câmara de Deputados, cada vez mais uma agência de despachos e um mercadinho de pulgas que vende a honra nacional a preço de peças de fumo podre. Mas não há chance de isso ver a melhorar depois de agosto.

(Comentário no Direto da Redação da Rádio Estadão – FM 92,9 – da sexta-feira 8 de agosto de 2016, às 7h15m)

Clique aqui, aberto o site da emissora, duas vezes no play sob o anúncio em azul

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.