Manobras inócuas contra Bolsonaro

Manobras inócuas contra Bolsonaro

Ações abertas no TSE para apurar financiamento por Caixa 2 para Whatsapps antiPT para favorecer Bolsonaro e piada de seu filho sobre STF até agora não mudaram decisão majoritária do eleitor

José Nêumanne

23 de outubro de 2018 | 11h47

 

O dóla

Manobras desesperadas do PT e aliados até agora não fizeram maioria de eleitores trocar Bolsonaro por Lula/Hadad. Foto: Mauro Pimentel/AFP

r caiu e a Bolsa cresceu à medida que a distância confortável de mais de dez pontos porcentuais nas pesquisas confirma a vitória de Jair Bolsonaro, do PSL, sobre Lula/Haddad, do PT. Ainda é cedo para comemorar a derrota federal do PT, embora nada indique uma mudança de ânimo do eleitorado, que parece e se diz firme com os candidatos escolhidos para ocupar a Presidência. Marolinhas como as ações na Justiça Eleitoral contra a denúncia do disparo de Whatsapps antiPT e a exumação de um vídeo do deputado Eduardo Bolsonaro falando mal do STF não inverteram a curva da tendência da cidadania pelo simples motivo de que até agora os eleitores seguem firmes na negação de Lula.

(Comentário no Jornal Eldorado na Rádio Eldorado – FM 107.3 – na terça-feira 23 de outubro de 2018, às 7h30m)

Para ouvir clique aqui e, em seguida no play

 

Assuntos para o comentário da terça-feira 23 de outubro de 2018

 

1 – Haisem – Com a queda do dólar e a subida da bolsa o mercado de capitais comemorou efusivamente a pesquisa da CNT-MDA, que praticamente repete a diferença registrada antes por Ibope e Datafolha. Será que não é cedo demais para esse tipo de comemoração, não?

 

2 – Carolina – O encerramento de 68 páginas de apoio a Jair Bolsonaro pelo Facebookd produzirá algum efeito negativo na votação anunciada no segundo turno para o presidenciável do PSL ou será nula?

 

3 – Haisem – A piada feita pelo deputado Eduardo Bolsonaro, filho do candidato a presidente apontado como favorito nas pesquisas do segundo turno, Jair Bolsonaro, a respeito do fechamento do Supremo Tribunal Federal a ser feito por um soldado e um cabo teve a resposta merecida pelos meretíssimos senhores ministros?

SONORA_JUNGMANN 2310

 

4 – Carolina – O que levou o  ex-presidente Fernando Henrique a definir nas redes sociais como “inacreditável” o anúncio feito pelo candidato do PSL à Presidência de que baniria e mandaria prender os líderes vermelhos, referindo-se aos adversários antes comuns a eles do PT?

 

5 – Haisem – Será que a ordem dada pelo ministro Sérgio Banhos, do Tribunal Superior Eleitoral, para que a União Nacional dos Estudantes remova postagens contra a candidatura de Jair Bolsonaro à Presidência da República será cumprida?

 

6 – Carolina – Como você definiria o “voto crítico” da candidata derrotada no primeiro turno Marina Silva, da Rede Sustentabilidade, ao candidato do PT, Fernando Haddad, no segundo turno?

 

7 – Haisem – Não terá o secretário-geral do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Estêvão Waterloo exagerado um pouco quando disse ontem que a Justiça Eleitoral está fazendo um “trabalho belíssimo” no combate à disseminação de notícias falsas nas redes sociais?

 

8 – Carolina – Terá o governador reeleito da Bahia, Rui Costa, do PT, violado mesmo a legislação eleitoral, como acusou o partido adversário DEM, por ter dado por Whatsapp instruções a prefeitos correligionários para providenciarem transporte público para evitar alto índice de abstenção na eleição de domingo?

 

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.