Manifesto de presidenciáveis é inócuo

A estapafúrdia intervenção de Bolsonaro no comando das Forças Armadas, obviamente golpista, reuniu seis presidenciáveis em manifesto a favor da democracia, mas que em nada afeta polarização, que quer evitar

José Nêumanne

01 de abril de 2021 | 20h17

Com Doria, Leite, Ciro, Mandetta e Amoêdo Huck assinou manifesto contra tentativas golpistas de Bolsonaro, mas, sem Lula, documento mostra-se vazio e perde qualquer objetivo concreto. Foto: Leonardo BernassattoReuters

“A conquista do Brasil sonhado por cada um de nós não pode prescindir da Democracia. Ela é nosso legado, nosso chão, nosso farol. Cabe a cada um de nós defendê-la e lutar por seus princípios e valores”, diz um trecho do documento, intitulado de “Manifesto pela Consciência Democrática”, assinado pelo ex-ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta, pelo apresentador de TV Luciano Huck, pelos ex-candidatos presidenciais em 2018 Ciro Gomes e João Amoedi e pelos governadores  do PSDB João Doria, de São Paulo, e Eduardo Leite, do Rio Grande do Sul. Esse manifesto em nada altera o panorama, pois Bolsonaro ainda é intocável, os pais da Pátria continuam insensíveis e o Brasil que se dane. A ausência Lula explicita apenas rejeição à polarização, pois esta não interessa a ninguém. Só que em nada a abala.

Para ouvir comentário clique aqui e, em seguida, no play

https://soundcloud.com/jose-neumanne-pinto/neumanne-010421-direto-ao-assunto

Assuntos para comentário na quinta 1.º de abril de 2021

1 – Haisem – Seis presidenciáveis se unem em manifesto pró-democracia – Esta é a manchete da primeira página da edição impressa do Estadão de hoje. Por que se tornou necessária uma posição de recusa pelos pretendentes à Presidência da República na eleição de 2022 ao golpe antidemocrático e que explicação pode ser dada à exclusão de Lula do grupo

2 – Carolina – Uma solução intermediária na escolha de comandantes – Este é o título de uma side information da manchete de primeira página do jornal. O que significa esse meio termo na nomeação dos chefes das Forças Armadas e, ao ser adotado, ele passa a justificar a medida adotada

3 – Haisem – Congresso eleva orçamento de áreas do Centrão – Este é o título de uma chamada de primeira página do Estadão desta quinta-feira. O que essa providência representa, a seu ver, neste momento em que o Estado precisa concentrar-se no apoio às empresas e aos trabalhadores na pandemia e na conseqüente recessão econômica

4 – Carolina – Reembolso de deputado é reajustado em 170% – Este é o título de outra chamada de primeira página do jornal de hoje. Você acha que esta é a hora de adotar uma providência dessas enquanto a fome assola as comunidades das metrópoles brasileiras

5 – Haisem – Brasil tem 3.950 mortes em 24 horas, mais um recorde – Este é outro título de chamada no alto da primeira página do jornal de hoje. Por que o choque representado por essa estatística funesta em nada altera o discurso do presidente da República a respeito da pandemia nem as providências a serem tomadas pelos chefes dos outros poderes para mudar esse quadro

6 – Carolina – O que você acha da notícia dada por Lauro Jardim em sua coluna e chamada na primeira página do Globo de hoje segundo a qual o vereador Dr. Jairinho telefonou para o governador interino do Estado do Rio, Cláudio Castro, para dar sua versão sobre a morte do menino Henry Borel e perguntar o que fariam as autoridades a respeito

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.