Lutando pela boquinha
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Lutando pela boquinha

Juízes "pela democracia" lançam dossiê contra sugestão de Bolsonaro de acabar com a Justiça dita do Trabalho, herança da simpatia de Getúlio Vargas por fascismo de Mussolini à custa do cidadão

José Nêumanne

16 de janeiro de 2019 | 06h59

Inspiração da fase de simpatia de Getúlio pelo fascismo de Mussolini continua sustentando pretensões de herdeiros do “trabalhismo” Foto: Acervo Estadão

A Associação dos Juízes pela Democracia (AJD) fez um dossiê para defender a Justiça do Trabalho da perspectiva anunciada pelo presidente Jair Bolsonaro de extinguir a Justiça do Trabalho. No arrazoado, os magistrados argumentam que a categoria precisa se manter em ação para fortalecer o combate à corrupção. O pretexto é mentiroso, o que é uma lástima também por partir de profissionais da Justiça. Afinal, não se julga casos de roubo nas varas trabalhistas. Na verdade, trata-se de mais um penduricalho fascista, inspirado na Carta del lavoro do italiano Benito Mussolini e que sobrevive nestes tristes trópicos desde as priscas eras do tenentismo e posteriormente no Estado Novo. Este é meu comentário no Estadão Notícias, no Portal do Estadão desde 6 horas de quarta-feira 16 de janeiro de 2019.

Para ouvir clique aqui e, em seguida, no player

 

Tendências: