Lula vai ter que esperar

Lula vai ter que esperar

Julgamento virtual no plenário, para o qual relator Fachin mandou recurso da defesa de Lula ao STF, dificilmente o soltará e liberará para campanha, mantendo-o em compasso de espera na cela

José Nêumanne

28 de agosto de 2018 | 18h04

Argumento da comoção social do favorito se dilui em manifestações pífias como a de domingo no Largo da Ordem, em Curitiba. Foto: Henry Milleo/Arenafotos

Dez entre dez juristas insuspeitos garantem que o relator da Lava Jato no Supremo Tribunal Federal, Edson Fachin, mandou o recurso contra decisão do STF de manter Lula preso para o pleno pelo processo virtual porque sabe que não há possibilidade de mudança na decisão tomada anteriormente pelos mesmos 11 ministros. A defesa de Lula conta com aquela famosa personagem de Nelson Rodrigues, Sobrenatural de Almeida, ou com alguma ausência de ministro que tenha votado com a maioria. Isso coincide com declaração da presidente do colegiado, Cármen Lúcia, de que até deixar a cadeira para Dias Toffoli, que vota pela libertação do petista, não porá na pauta prisão pós segunda instância. Este é um de meus comentários no Estadão às 5, transmitido do estúdio da TV Estadão na redação do jornal, ancorado por Emanuel Bomfim e retransmitido por Youtube, Twitter e Facebook na terça-feira 28 de agosto de 2018, às 17 horas.

Para ver o vídeo clique aqui

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.