Lula não é Mandela

Lula não é Mandela

Derrotados no primeiro turno não perceberam a indignação nem a rapidez da nova comunicação e, ao tentar fazer de Lula nosso Mandela, PT esqueceu que ladrão do casal não era Nelson, mas Winnie

José Nêumanne

15 de outubro de 2018 | 20h05

Ao contrário de Lula, Mandela foi preso político por lutar contra apartheid, e, no poder, se separou da mulher, acusada de corrupção. Foto: Alexander Joe/AFP

Numa demonstração de que não perceberam por que o eleitor decidiu jogá-los fora da disputa e escolher Jair Bolsonaro (PSL), para enfrentar Lula/Haddad (PT), Ciro Gomes (PDT), Geraldo Alckmin (PSDB), Álvaro Dias (Podemos), Henrique Meirelles (MDB) e Marina Silva (Rede) põem no eleitor a culpa pelo próprio fiasco. Celso Ming, definiu no título e na linha fina de sua coluna no Estadão o que aconteceu e eles não viram: A grande indignação: alcance da comunicação instantânea mudou tudo. Em artigo no Globo, Gabeira explicou que o erro da esquerda foi tentar fazer Lula emular Mandela. Completo: ao contrário de Lula, o ladrão não era Nelson, mas Winnie. E os dois se separaram.

(Comentário no Jornal Eldorado da Rádio Eldorado – FM 107,3 – da segunda-feira 15 de outubro de 2018, às 7h30m)

Para ouvir clique aqui e, em seguida, no play

 

Assuntos para o comentário de segunda-feira 15 de outubro de 2018

 

1 – Haisem – Com a derrota dos grupos que se diziam de centro – casos do Centrão e das candidaturas de Geraldo Alckmin, do PSDB, Álvaro Dias, do Podemos, Henrique Meirelles, do MDB, Marina Silva, do Rede Sustentatibilidade, e João Amoêdo –, reclama-se muito de a população ter criado problemas para a opção do eleitorado pelo centro, pois a disputa será entre os radicais de direita, Jair Bolsonaro, do PSL, e Fernando Haddad, do PT. Que tipo de impasse pode ter sido mesmo criado pelo resultado do primeiro turno da eleição presidencial?

 

2 – Carolina – Você concorda com as denúncias de Fernando Haddad, do PT, de que os bolsonaristas estão abusando da violência para forçar os eleitores a confirmarem a votação no primeiro turno e o resultado da primeira pesquisa de intenção de voto da Datafolha no segundo?

 

3 – Haisem – Esse flerte de porta aberta anunciado pelo candidato do PT à Presidência, Fernando Haddad, e o ex-presidente tucano Fernando Henrique Cardoso vai terminar em casamento, noivado, namoro ou não vai passar dessas declarações de amizade?

SONORA_HADDAD_FHC

 

4 – Carolina – A anunciada conversão de Fernando Haddad, do PT, e Manuela D´Ávila, do PC do B, à Igreja Católica na paróquia do padre irlandês Jaime Crowe, aumentará a votação dos candidatos da chapa, antes tidos como materialistas, a ponto de superar a chapa que chegou em primeiro lugar no primeiro turno?

 

5 – Haisem – A notícia publicada no fim de semana pelo Estadão, segundo a qual o ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad, candidato do PT à Presidência da República, estaria devendo explicações à Operação Lava Jato sobre o favorecimento de empreiteiras encalacradas com a polícia e a Justiça, poderá prejudicá-lo na conquista de votos dos eleitores que exigem do futuro presidente conduta ilibada?

 

6 – Carolina – Nesta guerra de “fake news” quem mente mais: os apoiadores de Bolsonaro sobre o apoio que Haddad teria dado ao incesto, como foi denunciado por Olavo de Carvalho, ou Haddad, ao dizer que o deputado votou contra o Estatuto do Deficiente, em 2015?

SONORA_BOLSONARO ESTATUTO DEFICIEN CIA

 

7 – Haisem – Quais são as possibilidades concretas de o tal do Bloco da sensatez, prometido pelo PSDB, conforme coluna de Eliane Cantanhede no Estadão, reverterem o que o ex-presidente tucano Fernando Henrique chamou em artigo de “Marcha para a insensatez”?

 

8 – Carolina – Quais são as explicações dadas pelos figurões da política nacional que foram demitidos pelo povo nas eleições gerais de 28 de outubro que mais lhe chamaram a atenção?

 

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.