Lula mentindo em inglês
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Lula mentindo em inglês

Ao dizer que fazem de Moro "um intocável", petista, sem querer, comparou em artigo no New York Times juiz ao agente Eliot Ness, que conseguiu prender o chefão mafioso Al Capone, e vestiu carapuça deste

José Nêumanne

15 Agosto 2018 | 11h25

Reproduzindo mentiras do petista contra instituições brasileiras, jornalão ianque em nada altera sua pena. (Reprodução da página impressa)

The New York Times publicou artigo em que Lula mentiu desavergonhadamente sobre sua situação de preso comum, condenado em segunda instância pelos graves crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro, e insistiu na lorota absurda de que é vítima de uma elite dirigente da República, que quer impedir sua candidatura, impossível por causa da Lei da Ficha Limpa. No texto cometeu o deslize de tentar condenar o juiz Sérgio Moro, chamando-o de “intocável”, palavra pela qual ficou conhecido o agente federal ianque Eliott Ness, que conseguiu o feito de prender o chefão mafioso Al Capone, papel que, sem querer, Lula assumiu. Nada muda: mentiras em inglês não reduzem a pena do ex.

(Comentário no Jornal Eldorado da Rádio Eldorado – FM 107,3 – na quarta-feira 15 de agosto de 2018, às 7h30m)

Para ouvir clique aqui e, em seguida, no play

 

Abaixo, os assuntos para o comentário de 15 de agosto de 2016

 

1 – Haisem – O que você acha que levou um jornal do tamanho e do perfil ideológico do New York Times a publicar as ofensas explícitas do preso comum mais notório do Brasil, Lula, a respeito do próprio sistema em que ele se tornou o melhor exemplo de self made man, ideal maior do capitalismo americano?

 

2 – Carolina – Em que a tática do Movimento dos Trabalhadores Sem Terra de paralisar estradas e ruas da cidade para impor ao Tribunal Superior Eleitoral à véspera e no dia do prazo final para o registro das candidaturas presidenciais pode impedir um diagnóstico contrário ao registro da chapa do PT, como pretendem os líderes do movimento social?

 

3 – Haisem – Quais são suas expectativas sobre a gestão da ministra do Supremo Tribunal Federal Rosa Weber na presidência do Tribunal Superior Eleitoral a partir de hoje?

SONORA_ROSA WEBER 1508

 

4 – Carolina – Que motivos tem a procuradora-geral da República, Raquel Dodge, para criticar de forma tão veemente a tática de transformar a tentativa de registrar a candidatura do inelegível Lula como táticas protelatórias?

SONORA_DODGE 1508

 

5 – Haisem – Que objetivos têm os ministros Dias Toffoli, Gilmar Mendes e Ricardo Lewandowski, da Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal, de mais uma vez repassarem do juiz Sérgio Moro para a Justiça Federal de Brasília as delações premiadas da Odebrecht sobre Lula e o ex-ministro da Fazenda do mesmo Lula e de Dilma Guido Mantega?

 

6 – Carolina – Por que, na sua opinião, mesmo reconhecendo que não há motivos para conceder privilégios a seu ex-chefe Luiz Inácio Lula da Silva para poder concorrer contra as pretensões dela à Presidência da República, Marina Silva não define como crimes, mas com meros “erros, as causas dessa condenação em segunda instância?

 

7 – Haisem – Quais as razões que levaram os responsáveis pelo marketing eleitoral do Partido Democrático Trabalhista a falsificar a imagem de sua candidata a vice-presidente Kátia Abreu e esta a aceitar essa falsificação gritante de seus traços fisionômicos?

 

8 – Carolina – Por que as autoridades fluminenses recusaram a oferta feita pelo ministro extraordinário da Segurança Pública, Raul Jungman, dos préstimos da Polícia Federal para resolver o impasse da investigação ao que parece sem muito futuro da execução de Marielle Franco e Anderson Gomes?

Lula na urna eletrônica em 2002 é feito que não se repetirá por causa da Lei da Ficha Limpa. Foto: Fabio Motta/AE