Liquidar Odebrecht já
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Liquidar Odebrecht já

Todos os credores da empreiteira corrupteira baiana - em especial bancos públicos como BNDES - deveriam imitar exemplo da Caixa e pedir liquidação e anulação da recuperação judicial da empresa, escândalo lesivo ao cidadão

José Nêumanne

04 de outubro de 2019 | 11h50

Depois de exportar produto brasileiro mais poderoso nos desgovernos petistas, a corrupção, Odebrecht tem direito a recuperação judicial escandalosa. Foto: Paulo Whitaker/File Photo

A Caixa Econômica Federal fez agora o que todo credor da Odebrecht – principalmente os bancos públicos como o BNDES, presidido pelo yuppie da Tijuca Gustavo Montezano, deveriam ter feito antes e continuam precisando fazer agora: pedir na Justiça a liquidação da empreiteira corrupteira. E mais: denunciar o escândalo da recuperação judicial aceita em prazo recorde de um dia pelo juiz João Rodrigues. Para o caso da empresa que exportou o produto brasileiro mais disponível nos desgovernos petistas deve-se aplicar o corretivo indicado por Bruno Dantas, do TCU: processar os donos e transferir seu controle acionário.


Assuntos para comentário da sexta-feira 4 de outubro de 2019

1 – Haisem – Do seu ponto de vista, o que teria motivado a Caixa Econômica Federal a pedir na Justiça a liquidação do conglomerado de empresas da empreiteira Odebrecht

2 – Carolina – Por que, a seu ver, a recuperação judicial, decretada pela Justiça, não resolve o problema da empreiteira baiana

3 – Haisem – Por que o banco BTG Pactual, de André Esteves, sofreu buscas e apreensões autorizadas pela Justiça e realizadas pela Polícia Federal ao longo do dia de ontem

4 – Carolina – Por que, mesmo ele tendo feito acusações duras e sem provas contra pessoas tidas como de conduta ilibada – como o ministro da Justiça, Sergio Moro, o coordenador da força-tarefa da Operação Lava Jato e o professor da Faculdade de Direito da USP, Modesto Carvalhosa – ninguém alega suspeição do voto do ministro do STF Gilmar Mendes em ações protagonizadas por seus inimigos

5 – Haisem – Afinal, qual foi a solução dada até agora para o impasse no Supremo Tribunal Federal da questão da ordem da apresentação de considerações finais das defesas de delatores premiados e os delatados

6 – Carolina – Por que, justamente quando tudo parecia encaminhado para a conclusão da votação do segundo turno da reforma da Previdência no Senado, tudo voltou à estaca zero e voltaram as dúvidas

7 – Haisem – Você não gostaria de esclarecer, de uma vez por toda, quais são os prazos dos diversos graus de progressão de pena a serem cumpridos por Lula

8 – Carolina – Por que o relator do caso da construção da nova sede do Tribunal de Justiça de São Paulo decretou sigilo

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: