Liberdade e cor

Um encontro prazeroso com o ritmo animado e a alegria ciganos

José Nêumanne

01 de julho de 2016 | 12h06

Os ciganos fazem parte de minha memória afetiva, pois vi muitos grupos deles acampando sob as bênçãos de meu avô materno em cuja casa nasci no Sertão do Rio do Peixe, no encontro de Paraíba, Ceará e Rio Grande do Norte sempre foram discriminados ou admirados por seu amor e pelo seu gosto pelas cores vivas e pelos ritmos animados. A canção Chei Chovorrilho, em sua língua, o romanês, é um exemplo de melodia e letra comprometidos com os ideais de plena liberdade para usufruir os prazeres da vida. Trouxe-a para abrir meu comentário da hora do Angelus no Direto da Redação 3 da Rádio Estadão – 92,9 – da quinta-feira 30 de junho de 2016, às 18 horas. Por favor, ouça a canção e julgue se foi, ou não, uma boa escolha.

Ouça aqui Chei Chovorrilho, com o grupo Encanto Cigano

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.