Lewandowski, o bizarro
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Lewandowski, o bizarro

Ao permitir suprimirem a pena da condenada Dilma, presidente do STF rasgou a Constituição

José Nêumanne

07 de setembro de 2016 | 10h01

Rasurando a Constituição

Rasurando a Constituição

Eis o último parágrafo de meu artigo na Página 2 do Estadão, “Só se for a pau, Juvenal”

A adoção do lema com que Jarbas Passarinho saudou o AI-5 no auge autoritário da ditadura civil-militar de 1964 – “às favas com os escrúpulos”, título de comédia de Juca de Oliveira – foi reprovada pelo decano do STF, Celso de Mello, e pelo ministro Gilmar Mendes, que a chamou de “bizarra”. O capitão do time constrangeu seus dez colegas a confirmarem seu deslize, esclarecendo que o pressuposto da condenação só vale para impeachment de presidente, sob pena de criarem precedente que beneficiaria astutos inspiradores dessa manobra espertinha. Ou jogarão o País no pré-sal da crise fatal.

Para ler a íntegra clique aqui

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: