Lambança inesquecível

Lambança inesquecível

Auditor distraído põe em dúvida reputação de consultoria que não perdoa deslizes de países

José Nêumanne

01 de março de 2017 | 10h10

Cullinan e Martha Ruiz, da PwC, na entrega com gave do Oscar 2017 Foto: Christopher Polk/AFP

Brian Cullinan e Martha Ruiz, da PwC, na entrega com gave do Oscar 2017 Foto: Christopher Polk/AFP

Brian Cullinan foi o responsável pela confusão no fim da cerimônia do Oscar envolvendo o prêmio de melhor filme. Sócio da empresa PricewaterhouseCoopers (PwC), há décadas responsável pela auditoria do prêmio, Cullinan entregou o envelope errado aos apresentadores Faye Dunaway e Warren Beatty, que anunciaram como vencedor La La Land, e não Moonlight. Os jornalistas descobriram que, em vez de cuidar do serviço, o elemento estava tuitando sem parar durante a cerimônia. Resta saber se, tendo sido culpada pela gafe que entrou na história das premiações mais importantes do mercado cinematográfico, a PwC também vai pagar o pato na área de consultoria econômica. Será?

(Comentário no Direto da Moviola do Estadão no Ar da Rádio Estadão – FM 92,9 – na quarta-feira 1.º de março de 2017, às 7h53m)

Para ouvir clique aqui e, aberto o site da Estação Nêumanne, no ícone do play

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.