As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Kássio promete respeitar políticos

Para conseguir aprovação dos senadores na sabatina candidato de Bolsonaro a uma vaga no STF promete a senadores respeitar o que Legislativo decidir, assumindo dívida oportunista, covarde e errada

José Nêumanne

08 de outubro de 2020 | 00h11

Em troca dos votos dos senadores na sabatina a que será submetido dia 21, Kássio lhes prometeu respeitar decisões do Legislativo, o que contraria seu dever de imparcialidade. oto: Ramon Pereira/Ascom TRF1

O desembargador Kássio Nunes Marques, indicado pelo presidente Jair Bolsonaro para a vaga do decano do STF, Celso de Mello, que se aposentará dia 13, está prometendo aos senadores que visita para pedir que o aprovem na sabatina de praxe que respeitará as decisões do Poder Legislativo. O dever dos ministros do Supremo não é respeitar os parlamentares, mas julgá-los, como a qualquer cidadão. Talvez por isso, está sendo tratado como um “ai-jesus” pelos políticos, principalmente pelos que não merecem respeito por suas capivaras. Enquanto isso, seu padrinho, Jair Bolsonaro, prometeu a uma plateia de evangélicos indicar para a cadeira do segundo mais antigo, Marco Aurélio, um pastor. E completou: “Imagine a sessão daquele Supremo começar com uma oração. Tenho certeza que isso não é mérito meu. É a mão de Deus”. Alguém precisa avisar ao capitão que o Estado brasileiro é laico, não tem religião. Direto ao assunto. Inté. E só a verdade nos salvará.

Para ver vídeo no YouTube clique aqui

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.