Jogando conversa fora

Jogando conversa fora

Sem ocupar território nem controlar presídios Estado não vencerá guerra da violência

José Nêumanne

28 de outubro de 2016 | 19h20

O trio no topo do comando: Cármen, Temer e Renan Foto: Beto Barata/PR

Trio no comando: Cármen, Temer e Renan Foto: Beto Barata/PR

Se Temer não conseguiu fazer a reunião das cúpulas da República para discutir o assunto mais relevante para a sociedade brasileira, a segurança pública, como pode imaginar que reuniões como aquela sejam  mais do que inúteis exercícios de marketing político na busca de uma conversa flácida para adormecer bovinos? É de uma inutilidade constrangedora querer convencer a Nação, assustada com a violência e a desfaçatez dos delinquentes, de que jogar conversa fora poderá encaminhar alguma solução para reverter o quadro crítico da violência que ocupa territórios e comanda a guerra das ruas das prisões onde o Estado não protege a vida nem de quem nelas trancafia.

(Comentário no Direto da Redação 3 da Rádio Estadão – FM 92,9 – da sexta-feira 28 de outubro de 2016, às 18h35m)

Para ouvir clique aqui e, aberto o site da emissora, 2 vezes no play sob o anúncio em azul

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.