Inútil sigilo
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Inútil sigilo

Em 66 anos, Congresso não cumpriu dever de regulamentar eleição indireta após impeachment

José Nêumanne

20 de dezembro de 2016 | 11h05

Gilmar Mendes prega distinção entre Caixa 2 e corrupção

Gilmar Mendes prega distinção entre Caixa 2 e corrupção e punição para quem vazar delações

O sigilo na negociação das delações premiadas foi imposto nas leis que as instituíram, assinadas por Fernando Henrique e Renan Calheiros e por Dilma Rousseff e Martins Cardozo, foi motivado pela necessidade de proteger os candidatos ao instituto, mas, na prática, tem sido adotado para poupar os delatados – e, assim mesmo, por um prazo curto. Tendo, portando, a concordar com Janot, que prega seu fim, e não com Zavascki, que reclama dos vazamentos que o quebram. Mais dia menos dia, o teor termina sendo público. Não há motivo, portanto, para manter esse suspense e o discurso de que a quebra do sigilo viola a lei, mesmo porque isso já ocorreu várias vezes e não há memória de ninguém apenado.

(Comentário no Estadão no Ar da Rádio Estadão – FM 92,9 –  terça-feira 20 de dezembro de 2016, às 7h14m)

Para ouvir clique no link abaixo e, aberto o site da emissora, 2 vezes no play sob o anúncio em azul

 

Tendências: