Insultada por Bolsonaro, China nega insumos para vacinas

Famiglia Bolsonaro, chanceler e outros radicais de direita insultaram chineses, que agora têm a faca e o queijo na mão para a vacinação iniciada no Brasil não ter de parar por falta de matéria prima

José Nêumanne

20 de janeiro de 2021 | 20h26

Tanto a coronavac do Butantá e da Sinovac quanto a vacina da Astrazeneca, Oxford e Fiocruz dependem, para virem a ser produzidas no Brasil de insumos que só são encontrados na China e estão em falta. Foto: Dado Ruvic/Reuter

1 – Indignada com insultos proferidos pela famiglia Bolsonaro e pelo chanceler Ernesto Araújo, chineses dificultam entrega de insumos para vacinas coronavac e da AstraZeneca, o que impede Pàzuello de dar datas do plano de vacinação na resposta ao STF. 2 – Fiocruz não produziu uma só das 160 milhões que Ministério da Saúde diz que Brasil comprou na vacina da AstraZeneca, de fato produzida no laboratório indiano Serum. 3 – Ministro da Saúde espera entrega de 2 milhões de doses em Mumbai, mas Brasil fica fora da lista dos países para os quais a Índia anuncia exportação da vacina. 4 – Por tudo isso e algumas notícias mais comemoração da imunização aqui é só marketing político. Direto ao assunto. Inté. E só a verdade nos salvará.

Para ver vídeo no YouTube clique aqui

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.