As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Incoerência cínica de Toffoli

Presidente do STF propõe prisão imediata de condenados por júri popular tentando enganar povo, que nunca esquecerá ter sido ele artífice do fim do cumprimento de pena por condenados em segunda instância

José Nêumanne

02 de março de 2020 | 21h49

Toffoli inventa uma prisão em primeira instância para condenados por júri popular para que País esqueça seu trabalho para mudar jurisprudência da segunda. Foto: Gabriela Biló/Estadão

Um terço dos crimes contra a vida no Brasil prescreve antes da punição. Essa terrível realidade decorre da lamentável lerdeza da Justiça brasileira, mas o presidente do STF, Dias Toffoli, acha que pode resolver esse drama permitindo a prisão em primeira instância de condenados em júri popular. Além de inócua, a proposta dele demonstra a cínica incoerência com que exerce seu poder, pois acaba de liderar a alteração em plenário da permissão para início de cumprimento de pena de condenados em segunda instância, dificultando o combate ao crime e contrariando o povo.

Para ouvir clique aqui e, em seguida, no play

 

Assuntos para comentário na segunda-feira 2 de março de 2020

1 – Haisem – 30% dos crimes contra a vida prescrevem antes da punição – O que há de mais revelador e preocupante nesta manchete de primeira página do Estadão de hoje

2 – Carolina – Na mesma primeira página do Estadão de hoje foi dado o seguinte título a uma chamada: Acaba motim de policiais militares no Ceará. Já dá para a população brasileira respirar mais aliviada

3 – Haisem – O que há de positivo, a seu ver, na informação dada pelo ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, em seu Twitter sobre a venda de ativos apreendidos pelas forças policiais do patrimônio dos chefões do crime organizado no Brasil

4 – Carolina – Faz um ano no carnaval do ano passado você anunciou aqui para nós a delação premiada do empresário carioca Mariano Marcondes Ferraz. O que há de novo e de importante que apareceu no último carnaval

5 – Haisem – Estados querem atender em casa infectados por coronavírus – infoma título de primeira página do Estadão hoje. O que justifica essa novidade de não apelar para a quarentena

6 – Carolina – Qual a notícia importante e positiva que sai dos laboratórios do Instituto Adolfo Lutz, em São Paulo, para contribuir no combate ao coronavírus no mundo

7 – Haisem – O que de tranqüilizador você acha que há na entrevista do infectologista Dráuzio Varela publicada no Portal do Estadão neste momento

8 – Carolina – Em que o livro Borboletas e Lobisomens, do jornalista e historiador Hugo Studart é útil para esclarecer melhor a declaração polemica do chefe do Gabinete de Segurança Institucional do governo, general Augusto Heleno Ribeiro, a seu ver

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.