Impunidade, desgraça do Brasil

Impunidade, desgraça do Brasil

Execução de miliciano que podia dar informações relevantes sobre morte de Marielle e desabamento em Muzema repete cenas da guerra política de sempre com muita acusação, mas nenhuma punição

José Nêumanne

19 de fevereiro de 2020 | 21h35

Foragido a 170 quilômetros de Salvador, o ex-capitão das milícias não   se escondia, apesar de, segundo seu advogado, temer ser morto. Foto: Reprodução

Flávio Bolsonaro divulgou no Twitter foto sem comprovação real para provar que Adriano foi torturado. seu pai, Jair, atribuiu ao PT de Rui Costa assassinato do miciliano. Governador da Bahia e Lula, do PT, plantaram versão de que queima de arquivo  interessava ao clã presidencial. Na guerra pré-eleitoral, muita acusação e nenhuma punição o que se espera no reino de impunes.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.