Ih, faz tempo!
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Ih, faz tempo!

Possível delação premiada de ex-chefe da Casa Civil de Cabral põe Alerj e Justiça do Rio em pânico

José Nêumanne

16 Março 2017 | 21h57

Juiz Marcelo Bretas, do Rio, investiga Cabral, que equivale à Lava Jato toda Foto: Marcos Arcoverde/Estadão

No Rio, Bretas comanda caça a  Cabral, que equivale à Lava Jato inteira Foto: Marcos Arcoverde/Estadão

O esquema de corrupção nas obras da Linha 4 do Metrô do Rio de Janeiro foi revelado em 2008 no âmbito da operação Castelo de Areia, que investigou à época o relacionamento escuso da Camargo Corrêa, hoje encalacrada na Lava Jato, com o então governador Sergio Cabral, além da renovação da concessão da obra na calada da noite. A operação foi enterrada pela força e pelo prestígio de Márcio Thomaz Bastos, ex-ministro da Justiça de Lula. Tudo está voltando à tona agora, que é hora de o Rio de Janeiro também ser passado a limpo para saber quem levou o Estado à calamidade pública. Tudo tem que ver com doação de campanha. Doação, não, venda de direito da união em proveito próprio.

(Comentário no Estadão no Ar 2 da Rádio Estadão – FM 92,9 – da quinta-feira 16 de março de 2017, às 7h40m)

Para ouvir comentário 1 clique aqui e, aberto o site da Estação Nêumanne, no ícone do play

Para ouvir comentário 2 clique aqui e, aberto o site da Estação Nêumanne, no ícone do play

Para ouvir comentário 3 clique aqui e, aberto o site da Estação Nêumanne, no ícone do play