Governo respira
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Governo respira

Defecção de Renan nas hostes governistas perdeu importância com o placar de 16 a 9 na CCJ

José Nêumanne

29 de junho de 2017 | 16h34

Tucano Anastasia e peemedebistas Lobão e Jucá na reunião da CCJ do Senado Foto: Dida Sampaio/Estadão

A aprovação da vitória do governo na votação que, na CCJ do Senado nesta madrugada, deu sequência ao relatório do deputado Rogério Marinho (PSDB-RN), aprovado em plenário da Câmara,  cancelamdo o baixo astral da derrota na CAS, dando novo ânimo ao governo Temer, que neste momento depende de aparelhos para respirar e reduz a apreensão em relação aos votos de seus membros para negar processo por corrupção pedido pelo procurador-geral, da República, Rodrigo Janot, contra o presidente Temer. Este também cutucou o mesmo Janot ao nomear uma desafeta dele para seu lugar, embora o primeiro votado na Associação Nacional dos Procuradores Públicos fosse um colega afinado com o atual chefe do MPF. A defecção do antigo aliado Renan Calheiros das hostes “temerárias” terminou sendo esmagada pela votação de 16 a 9 E fica a lamentar apenas a manutenção de Fachin, que homologou a delação excessivamente vantajosa do alcaguete Joesley Batista, como relator do caso em tela. Eliane Cantanhede:concluiu no mesmo Podcast Comentaristas do Jornal Eldorado na Rádio Eldorado – FM 106,7 – na quinta-feira 29 de junho de 2017, registrando o envido por Carmen Lúcia da denúncia contra Temer para o Congresso, sob a expectativa de novas denúncias da PGR. Até por isso, Temer antecipou-se e ontem anunciou a sucessora de Janot, que só sai em setembro. É uma forma de já ir esvaziando o atual PGR. Raquel Dodge era a candidata que mais oposição fazia a Janot. Eliane também fez uma questão que chamou de final: será que o Temer discutiu a escolha com um ministro do Supremo? Alexandre Garcia falou da reação de Temer, sua defesa e seus aliados, contra o ex-procurador da lava-Jato Marcelo Miller, que passou a trabalhar em escritório que presta serviços advocatícios ao delator Joesley. Ele também comentou o envio da denúncia por Fachin direto para a Câmara e o abandono da liderança do PMDB no Senado pelo agora desafeto de Temer Renan Calheiros. Sônia Racy citou o ex-ministro do STF Carlos Veloso, que se disse surpreendido com a decisão de Fachin de encaminhar o processo de Temer à Câmara. Marília Ruiz abordou as acusações de corrupção contra o ex-presidente da CBF Ricardo Teixeira.

Para ouvi-lo clique aqui

 

Tendências: