Governo dá calote para comprar votos

Equipe econômica de Paulo Guedes quer financiar programa social para manter popularidade de Bolsonaro adiando pagamento de precatórios e usando verbas do Fundeb

José Nêumanne

30 de setembro de 2020 | 23h34

Para evitar ter o mandato interrompido, aprovar seus programas sociais e manter sua popularidade em bons níveis, Bolsonaro repassou seu governo para seus novos pareceiros do Centrão. Foto: Estadão

No Twitter, Bolsonaro rebateu críticas de que quer turbinar o Bolsa Família para se reeleger. “Nunca me preocupei com reeleição.“, disse. Não diga. E mais: “Infelizmente, para demagogos e comunistas, auxílio não pode ser para sempre”. O comentário a fazer é hahaha. Esta não é uma conversa pra boi dormir, mas para gado bolsonarista  ficar mugindo insultos nas redes sociais. E faz isso comprando votos de pobres com dinheiro roubado das crianças carentes em idade escolar e dos proprietários desapropriados e outros credores da União, dos Estados e dos municípios. O drible proposto no teto de gastos para evitar impeachment é, segundo editorial do Estadão uma chanchada, só que estas eram bem feitas e tinham graça. A obrigação do Congresso é impedir defendendo direitos dos credores desvalidos do Estado estróina e de escolares.

Para ouvir comentário clique aqui e, em seguida, no play

 

Assuntos para comentário na quarta-feira 30 de setembro de 2020

1 – Haisem – Bolsonaro pede idéias para o Renda Cidadã – Especialistas apontam saídas – Esta é a manchete da primeira página na edição impressa do Estadão, que hoje é assim: dupla – O ideário que levou o presidente da República à vitória da eleição não seria, então, na sua opinião, suficiente para governar o Brasil

2 – Carolina – Medidas populistas terão custo alto para o País, diz ex-secretário do Tesouro – Em que e por que você acha que deve ser levada em conta a opinião do economista Mansueto Almeida, que até bem pouco tempo era da equipe de Paulo Guedes no Ministério da Economia

3 – Haisem – Que importância você atribui à informação vazada do Ministério Público do Rio de que ex-assessoras de Flávio Bolsonaro repassaram 27 mil reais para a conta de um dos advogados do atual senador, Botto Maia

4 – Carolina –  Operador de Hélder tem patrimônio de 600 milhões de reais e identidade falsa – Este é o título de uma chamada de capa do Portal do Estadão em circulação no momento. O que dizer de mais essa investigação de corrupção de alto coturno na atual gestão do MDB no Estado do Pará

5 – Haisem – A eterna volta do Brasil ao futuro prometido – Este é o título de seu artigo publicado hoje na página 2, de Opinião, do Estadão – O que este tema da Grécia antiga tem a ver com o noticiário político do momento

6 – Carolina – O que o líder da minoria na Câmara dos Deputados, Carlos Zarattini, tem a dizer sobre a denúncia feita pelo presidente do Instituto Não Aceito a Corrupção, promotor Roberto Livianu, quanto ao relatório que o petista apresentou a respeito da Lei da Improbidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.