Golpe no STF para soltar Lula

Golpe no STF para soltar Lula

Lewandowski usa habeas corpus pedido por advogado suspeito de corrupção para debater jurisprudência vencedora no plenário por 6 a 5 na 2.ª turma, que preside, para soltar Lula, amigo de família que o levou ao topo

José Nêumanne

02 de maio de 2019 | 06h56

Lula conta com Lewandowski, Celso e Gilmar no STF para sair da cela onde divulgou fala do trono. Foto: Ricardo Stuckert

O ministro do STF Ricardo Lewandowski, sempre disposto a servir a Lula, que o nomeou para o ápice da carreira, acaba de aplicar um novo golpe para tirar o amigo da cela de Estado Maior na PF em Curitiba. O advogado Duran Gonçález, pra lá de suspeito, pediu um habeas corpus contra decisão do TRF-4. Em minoria no plenário em que a prisão após segunda instância foi permitida por 6 a 5 e em maioria de 3 a 2 na 2.ª Turma, que preside, o benemérito que permitiu Dilma se candidatar e perder pediu vista para tornar presencial plenário virtual e julgar o mesmo assunto com dois parceiros para chegar a seu objetivo. Este é meu comentário no Estadão Notícias, no Portal do Estadão desde 6 horas de quinta-feira 2 de maio.

Para ouvir clique aqui e, em seguida, no player

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.