Golpe bolsonarista ataca de novo

Ao propor Constituição com menos destaque para fiscalização, líder do governo na Câmara, Barros, escancara o lance sujo de uma Constituição com deveres do cidadão e privilégios para políticos

José Nêumanne

28 de outubro de 2020 | 20h22

Oportunista como de hábito, líder do governo na Câmara, Barros, aproveita destaque dado na mídia ao plebiscito no Chile para anunciar seu patrocínio de projeto similar. Foto: Marcello Casal Jr./Agência Brasil

1 – Ao pregar a instalação de uma Constituinte para instaurar uma ordem legal com mais direitos, menos deveres, Justiça menos ativa e ação limitada da fiscalização de órgãos do Estado, o líder do Centrão e do governo Bolsonaro, Ricardo Barros, apenas ecoou a voz golpista do chefe máximo. 2 – Desembargador paulista deu aula gratuita ao golpista sobre história, limites e atuação do STF. 3 – Investimentos diretos do exterior na economia brasileira nos seis primeiros meses do ano foram em média menores do que os para outros países emergentes. Direto ao assunto. Inté. E só a verdade nos salvará.

Para ver vídeo no YouTube clique aqui

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.