Gerson: ditadura não pressionou seleção

Gerson: ditadura não pressionou seleção

Campeão em todos os clubes em que atuou, o meia conhecido como "canhotinho de ouro", youtuber de sucesso e comentarista de rádio, emociona-se com trabalho social em Niterói

José Nêumanne

02 de maio de 2021 | 12h45

1 – Protagonista da série #doisdedosdeprosa desta semana, o segundo melhor jogador da #copade70, desmentiu a versão de que teria havido pressão da #ditaduramilitar na campanha do #tricampeonatomundial da #selecaobrasileirade1970: “vocês vieram aqui para jogar”, diziam os dirigentes da #cbd. 2 – #gersondeoliveiranunes contou que entrou no peruano #delatorre para quebrar: “meus mestres, #zizinho, #jairdarosapinto e #didi, me ensinaram que, se não der para responder à altura num jogo, é só planejar para o jogo seguinte, e foi o que fiz”. 3 – Comentarista da @radiotupi do #rio e #youtuber de sucesso, o craque, que foi campeão em todos os clubes por onde passou, ficou revoltado com a escolha dos melhores jogadores de todos os tempos sem #garrincha, #kubala e #masopust. 4 – No final, emocionou-se ao falar do trabalho de sua #fundacaocanhotinha, que ajuda menores carentes na cidade onde nasceu e vive até hoje: #niteroi. @joseneumannepinto. #doisdedosdeprosa. Inté. E só a verdade nos salvará.

Para ver vídeo no YouTube clique aqui

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.