As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Gabinete do ódio desmascarado

Devassa feita pela rede social, que removeu 35 contas, 14 páginas e 1 grupo e mais um do Instagram deixa STF, TSE e CPMI do Congresso sem cara para arquivar inquéritos sobre fake news dos Bolsonaros

José Nêumanne

09 de julho de 2020 | 19h12

Dado como chefe do “gabinete do ódio”, que funciona no mesmo andar onde o pai, Jair, dá expediente, Carlos Bolsonaro viu seu trabalho desmoronar sob a demolição feita pelo Facebook. Foto: Dida Sampaio/Estadão

Facebook anunciou na quarta-feira, 8, que derrubou uma rede de contas e perfis falsos ligados a integrantes do gabinete do  presidente Jair Bolsonaro,  seus filhos, ao PSL e aliados. Foram identificadas e aemovidas 35 contas, 14 páginas e 1 grupo no Facebook e 38 contas no Instagram. O material investigado pela plataforma identificou pelo menos cinco funcionários e ex-auxiliares que disseminavam ataques a adversários políticos da “famiglia”. Nessa lista está Tercio Arnaud Thomaz, que é assessor do presidente e integra o chamado “gabinete do ódio”, núcleo instalado no terceiro andar do Palácio do Planalto. A investigação particular vem somar-se a outras no STF, no TSE e na CPMI e, sobretudo, põe a nu um esquema de extermínios de reputações de adversários e propaganda disparada dos feitos do chefão. Que feio!

Para ouvir comentário clique aqui e, em seguida, no play

 

Assuntos para comentário na quinta-feira 9 de julho de 2020:

 1 – Facebook barra rede ligada ao ‘gabinete do ódio’ do Planalto – Esta é a manchete da primeira página do Estadão na edição impressa de hoje. Que providências terão de ser tomadas para interromper o absurdo da existência de robôs pagos pelo contribuinte para promover grupelhos e assassinar reputações

 2  – Governo trava repasse de 33 milhões de reais para Amazônia -´Que conseqüências funestas esse tipo de providência, dada em chamada de primeira página da edição impressa do Estadão de hoje, poderá exercer sobre a retomada da economia pós-pandemia, prejudicando, sobretudo, nossa galilnha de ovos de ouro, o agonegócio

 3 – Bolsonaro avalizou atos de Salles, diz MP em peça que pede a saída do ministro. Que conseqüências uma acusação pesada como esta, publicada em manchete na editoria de Política do Portal do Estadão, poderá ter sobre a permanência do ministro do Meio Ambiente e mesmo na permanência do próprio presidente da República, Jair Bolsonaro

 4 – Estudo do PT mostra que eleitor desiludido com Bolsonaro pode votar nele de novo – revela outra notícia de destaque na capa da editoria Política do Portal do Estadão hoje. Que panorama dá para enxergar para 2022 diante desta revelação

 5 – O presidente da República, Jair Bolsonaro, vetou a obrigatoriedade de o governo federal entregar água potável e UTIs às populações indígenas conforme prevê lei votada pelo Congresso para protegê-las do contágio mortal destas comunidades em suas aldeias. O que você achou disso

 6 – O ministro do Supremo Tribunal Federal Luís Roberto Barroso determinou que o governo federal adote medidas para proteger os chamados “povos da floresta” da pandemia da covid-19, que pode provocar uma matança generalizada nas aldeias indígenas remanescentes do Brasil

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: