Frutiqueiros contra Moro
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Frutiqueiros contra Moro

Fraga, derrotado por Ibanêis no primeiro turno da eleição para governador do DF, associa-se ao adversário para ficar com metade da pasta que Bolsonaro entregou a ex-juiz

José Nêumanne

28 de janeiro de 2020 | 15h18

Alberto Fraga, amigo íntimo do clã Bolsonaro, indicou o novo PGR, Aras, petista e filho de petista, e agora quer metade do ministério de Moro. Foto: Gabriela Biló/Estadão

As intrigas palacianas para enfraquecer o ministro da Justiça, Sergio Moro, retirando-lhe a parte concernente à segurança pública, tem duas fontes principais. A primeira delas é o ex-deputado Alberto Fraga, coronel reformado da PM do Distrito Federal, derrotado no primeiro turno da eleição para governador, com menos de 6% dos votos, acusado pelo MPF de ter recebido propina e perdoado pela comissão de Ética da Câmara depois de ter caluniado a vereadora Marielle Franco em fakenews nas redes sociais. Seu companheiro de futricas é quem venceu disputa eleitoral que ele perdeu: o rico advogado Ibanêis Rocha, da alta hierarquia da OAB. Bolsonaro recuou, mas eles não.

Assuntos para comentário da segunda-feira 27 de janeiro de 2019

1 – O que mais chama sua atenção na atuação do ex-deputado Alberto Fraga a favor da divisão do ministério da Justiça e recriação da pasta da Segurança Pública, que criou a mais recente crise entre o presidente Jair Bolsonaro e o ministro Sergio Moro

2 – Qual a relevância no cenário político brasileiro do governador do Distrito Federal Ibanêis Rocha para que ele atue no esquadrão de frente dos detratores de Moro

3 – Que base tem o deputado federal Eduardo Bolsonaro para, sem declinar seu nome, dizer que o ministro da Justiça é o favorito da “extrema imprensa”. Aliás, o que diabos quererá dizer “extrema imprensa”

4 – O que motiva o ex-presidente Lula a reclamar da ausência do Estado nos bairros periféricos das metrópoles brasileiras e concordar com as críticas de seu adversário da vez, Jair Bolsonaro, à imprensa

5 – Que importância você dá à acusação assinada pelo subprocurador da República Wellington Divino de Oliveira contra o editor do site The Intercept Brasil, Glenn Greenwald, pela invasão criminosa de pretensas comunicações pelo aplicativo Telegram de agentes de combate à corrupção pelos hackers de Araraquara flagrados pela Operação Lava Jato

6 – O que você tem a dizer da iniciativa do ministro do Tribunal de Contas da União Augusto Sherman de exigir do presidente do BNDES, Gustavo Montezano, explicações sobre os gastos de 48 milhões de reais do banco público no relatório que deu em nada de uma auditoria americana

7 – O que justifica a escolha dessa empresa Cleary Gottlieb por tantas estatais brasileiras e sempre a um custo tão algo

8 – Que respostas a Justiça brasileira deu à sociedade sobre o criminoso arrombamento das represas de rejeitos da mineradora Vale em Brumadinho, Minas Gerais

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.