Fraudes no Senado
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Fraudes no Senado

Mesma cidadania que afastou Renan da presidência do Senado deve exigir punição na forma da lei para senadora que furtou pasta com resultado de votação e responsável pela duplicação de cédula

José Nêumanne

04 de fevereiro de 2019 | 07h05

José Maranhão (MDB-PB), presidindo sessão da eleição do Senado, constatou cédulas duplicadas sem envelopes e as rasgou. Foto: Dida Sampaio/Estadão

Quando Renan Calheiros, Ricardo Lewandowski e Kátia Abreu rasuraram a Constituição para permitir que, depois do impeachment, Dilma Rousseff pudesse ocupar cargo público, ninguém foi punido. Agora duas grandes fraudes da eleição para a presidência do Senado – a punga da pasta contendo a votação de 50 a 2 pela reincidente senadora do Tocantins e a impressão de 82 cédulas para um eleitorado total de 81 votantes – precisam ser investigadas e seus culpados, punidos. A Nação não suporta mais ter de encarar esse tipo de vilania ser tratada como se fosse lana caprina e mesmo em tom de galhofa com a batedora de carteira ameaçando pelo Twitter roubar a urna da votação de sábado. Este é meu comentário no Estadão Notícias, no Portal do Estadão desde 6 horas da segunda-feira 4 de junho de 2019

Para ouvir clique aqui e, em seguida, no player