As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Fora, Marco Aurélio

Mesmo levando-se em conta o notório talento de Bolsonaro de sempre escolher o pior, melhor a fazer agora seria executar o impeachment do novo decano proposto pelo professor Di Franco

José Nêumanne

14 de outubro de 2020 | 20h58

A ministra do STF Rosa Weber é quem relata na Corte a Operação Overseas, protagonizada pelo suposto traficante André do Rap, que colega dela Marco Aurélio Mello mandou soltar. Fotos: Dida Sampaio/Estadão e Reprodução

Ontem, à noite, Cláudio Dantas me homenageou no programa Gabinete da Crise do Antagonista por causa da resposta dura que dei ao ministro do Supremo Tribunal Federal Marco Aurélio Mello num Roda Viva da TV Cultura, em 2016. Hoje cedo o professor Carlos Alberto di Franco, da Universidade de Navarra, na Espanha, me perguntou o que achava de uma sugestão dele de impeachment para a alta autoridade da República que mandou soltar o traficante André do Rap do PCC, possibilitando sua fuga. Na verdade, o novo decano do STF é o maior culpado por essa ignomínia. Mas não é o único. Também o são Alexandre de Moraes, do STF, que inspirou a deturpação absurda do pacote anticrime de Sérgio Moro no Congresso; Bolsonaro, que não o vetou; e Augusto Aras, que não recorreu da estupidez a tempo de evitar a fuga do criminoso. E mais: André Mendonça e Jorge Oliveira, espíritos de porco de orelha do presidente; e o relator da lei na Câmara, Lafayette de Andrada. Direto ao assunto. Inté. E só a verdade nos salvará.

Para ver vídeo no YouTube clique aqui

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.