As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Flávio, sem memória ou cínico

Primogênito do presidente não conseguiu desculpa melhor no depoimento ao MP do Rio do que esquecimento ao ser questionado sobre eventual pagamento em dinheiro vivo de imóveis

José Nêumanne

13 de agosto de 2020 | 20h24

O filho zero de Bolsonaro exagerou no cinismo ao responder ao MP do Rio sobre aquisição de imóveis pagos com altas quantias em dinheiro vivo ou aposta na exagerada burrice dos outros. Foto: Dida Sampaio/Estadão

O senador Flávio Bolsonaro não se lembra de ter pago em dinheiro vivo dois apartamentos em Copacabana, em 2012. Os promotores do MP do Rio descobriram que no mesmo dia em que a compra foi registrada em cartório, por R$ 310 mil, o vendedor dos imóveis fez ainda um depósito de R$ 638 mil em dinheiro num banco a uma rua do cartório onde foi lavrada a escritura. Para eles, a venda foi registrada abaixo dos valores negociados, e o pagamento, feito no momento da escritura e com dinheiro oriundo do peculato. Quando foi perguntado se sabia que o vendedor dos apartamentos tinha feito um depósito de R$ 638 mil em cédulas no dia da venda, comentou: “Se o cara tinha esse perfil, certamente não devia estar fazendo só isso, né?”. No depoimento, ele não desmentiu a denúncia de seu suplente, Paulo Marinho, com fatos.

Para ouvir comentário clique aqui e, em seguida, no play

 

Assuntos do comentário da quinta-feira 13 de agosto de 2020:

1 – Haisem – Flávio Bolsonaro disse que não se lembra mais de ter pago imóvel em espécie no Rio. Você acredita que o senador está tendo lapsos de memória ou o patrimônio imobiliário dele cresceu tanto que favorece esse esquecimento conveniente

2 – Carolina – Quem o ministro do Supremo Tribunal Federal Gilmar Mendes nenedicia empurrando com a barriga, como faz agora, sua decisão sobre a prisão domiciliar do faz-tudo da família Bolsonaro, Fabrício Queiroz, e da mulher dele, Márcia Aguiar

3 – Haisem – Doleiro faz acordo na Lava Jato e pagará 1 bilhão de reais – Este é o título de uma chamada de primeira página na edição impressa do Estadão de hoje. O que há, a seu ver, de mais relevante e revelador na notícia nesta hora em que o combate à corrupção é tão sabotado nas cúpulas dos três poderes da República

4 .- Carolina – Tribunal de Justiça de São Paulo gastou 13 milhões e meio de reais em “vantagens pessoais” – é o título de uma chamada de capa do Portal do Estadão. A que ponto você acha que está chegando a desfaçatez da cúpula do Judiciário nesta época de pandemia e recessão econômica

5 – Haisem – Diante da debandada, governo quer antecipar medidas de ajuste para 2021. Esta é a manchete do Estadão de hoje. A seu ver, dá para acreditar neste anúncio de fidelidade à política de austeridade fiscal anunciada para evitar o desmoronamento do pilar liberal da economia pela cúpula federal

6 – Carolina – Bolsonaro vai trocar líder na Câmara por nome do Centrão – O que há a dizer da substituição do major Vitor Hugo pelo ex-ministro da Saúde no governo Temer Ricardo Barros na liderança do governo, noticiada no dia em que seu ex-chefe viajou para Beirute à frente da comitiva brasileira que leva ajuda para o Líbano, terra natal dos pais dele

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: